Prefeito e vice-prefeita assinam decreto para criação e implantação do Gabinete de Crise

No fim da tarde dessa quarta-feira, 20, o prefeito Tião Bocalom e a vice-prefeita, Marfisa Galvão, reuniram os secretários e diretores municipais no auditório da prefeitura para a composição do Gabinete de Crise e explicar sobre a função de cada secretaria dentro dele.

A coordenação é da Defesa Civil Municipal, que tem à frente da pasta o major Claudio Falcão. Segundo ele, o Gabinete implantando será acionado sempre que houver uma crise e, consequentemente, a secretaria ou diretoria responsável também.

“Esse gabinete será permanente e é uma decisão muito acertada do prefeito porque nós temos crise durante o ano todo, pequenas e grandes. Hoje, o principal trabalho nesse momento chuvoso é com a enchente do Rio Acre, porém nós temos também a inundação de igarapés, temos deslizamentos, desmoronamento de casas e árvores”, disse o major.

Prefeito Tião Bocalom alinha com secretários e diretores municipais função de cada instituição no gabinete de crise (Foto: Dircom)

Ainda segundo Falcão, todos esses fenômenos da natureza trazem alguma ameaça ao cidadão de Rio Branco. “Se há ameaça ao povo, nós precisamos do gabinete instalado porque uma única secretaria não seria capaz de resolver todas as crises, então nos juntamos todos e trabalhamos em prol do município de Rio Branco. Em alguns casos, como desmoronamento, por exemplo, a população pode acionar Corpo de Bombeiros por meio do 193, que por sua vez aciona a Defesa Civil Municipal e nós vamos até o local fazer avaliação de todos os danos. Depois, são acionadas as demais secretarias que por ventura precisem que ser chamadas”, concluiu.

Para o prefeito Tião Bocalom é importante a criação desse Gabinete, assim todos estarão preparados e a postos em caso de crise.

“Nesse momento a crise para nós é a questão das enchentes e alagações que sempre acontecem. Quando chegar o verão, a crise será proveniente das queimadas. Então, em diversos momentos existem crises e, se tem crises, precisam ser gerenciadas. É importante que esse comitê seja permanente para, assim, quando aparecer uma crise possamos trabalhar em conjunto e dar uma resposta rápida para a população”, explicou o prefeito.