Prefeitura garante retomada do transporte coletivo em Rio Branco

Superintendente da RBTrans e equipe em conversa com motoristas na madrugada desta terça-feira (Foto: Dircom)

Por volta das 4 horas da madrugada desta terça-feira, 18, equipes da RBTrans movimentaram as garagens das concessionárias do transporte coletivo, em Rio Branco, para colocar nas ruas os ônibus que estavam parados, iniciando um novo ciclo na modalidade de transporte público na capital acreana.

O prefeito de Rio Branco, Tião Bocalom, tomou a decisão de intervir no transporte público do município, a partir das condições precárias dos serviços ofertados e da paralisação dos ônibus por parte das operadoras. Ele anunciou em entrevista coletiva, na última segunda-feira, 17, as providências adotadas pelo município.

O diretor de transportes da RBTRans, Clendes Vilas Boas, um dos responsáveis por essa articulação, explicou como foi trabalhada essa questão. “Desde às 4 horas da madrugada os carros já estão saindo para as linhas o que é normal e nós estamos aqui junto com o nosso procurador jurídico, Vicente Prado, a equipe da RBTrans, o grupo Caveira para dar segurança e as informações para a sociedade, e hoje, o transporte voltou ao normal”, disse.

Vicente Prado falou que tudo está de acordo com a Lei. “O poder concedente, que é o município de Rio Branco, com lastro na Lei Municipal nº 332 que cria o Sistema Integrado de Transporte Urbano de Rio Branco – SITURB, e também respaldado no decreto emergencial, a Prefeitura está obedecendo o critério legal para dar segurança jurídica a todas as partes, inclusive às concessionárias”, explicou o procurador jurídico da RBTrans.

Nesta terça-feira a Prefeitura conseguiu colocar nas ruas mais de 70 veículos que circulam em turnos distintos, mas a ideia é ampliar ainda mais esses serviços. É o começo de uma nova era para o transporte público da cidade, destacou o superintendente da RBTrans, Anizio Alcântara.

“Os motoristas têm expectativa de direitos, de questões trabalhistas que eles não recebem há tanto tempo, e eles não entendiam, ainda, como se dá essa intervenção. A Prefeitura está intervindo e ela se responsabiliza pelo serviço, daqui para frente, e as regras, os valores da diária, só podem ser negociados em cima do que estava sendo praticado”, ressaltou o superintendente.

O motorista Cássio Muniz observou que este entendimento entre a Prefeitura e os servidores é o melhor para a categoria. “A gente entende que a intervenção é uma segurança para nós, na questão de pagamento, que é a nossa maior dificuldade hoje. O acordo é viável para a classe, que aceitou. Nós, nos sentimos mais seguros, o trabalhador tem mais uma segurança com o prefeito nesse processo de mudança”, observou o motorista.

O presidente do Sindicato dos Trabalhadores do Transporte de Passageiros e Cargas do Acre (Sinttpac), Francisco Marinho, acompanhou toda a negociação na empresa São Judas Tadeu. “Graças a Deus a intervenção trouxe um bom entendimento. Vai ser bom para eles, na verdade, e para a própria população”, completou.