Alunos do Ieptec visitam casa Rosa Mulher

Estudantes participaram de palestra sobre violência contra mulher (Foto: José Leíndio/Assecom)

Alunos do curso de enfermagem do Instituto de Educação Profissional e Tecnológica (Ieptec), visitaram na manhã desta terça-feira (26), a Casa Rosa Mulher, instituição dedicada ao acolhimento de mulheres vítimas de violência doméstica e em situação de vulnerabilidade social.

Durante a visita, os estudantes tiveram a oportunidade de participar de uma palestra sobre um tema extremamente relevante: Violência contra mulher.

“Achamos importante eles virem aqui para conhecer melhor esse componente que é a saúde da mulher, e também conhecer um pouco o que tem no nosso estado que é a Casa Rosa Mulher”, pontua a professora Ana Couto.

Conhecida por oferecer apoio e assistência integral às mulheres que enfrentam situações de violência em seus lares, a Casa Rosa Mulher conta com uma equipe multidisciplinar.

A instituição busca proporcionar um ambiente seguro e acolhedor para que essas mulheres acolhidas possam reconstruir suas vidas.

“A casa trabalha o fortalecimento dessas mulheres com os cursos profissionalizantes e oficinas”, explica a diretora de Direitos Humanos da SASDH, Rila Freze.

Durante a palestra, ministrada por especialistas da Casa Rosa Mulher, os estudantes tiveram a oportunidade de aprender sobre os diferentes aspectos da violência sexual, desde suas causas até as consequências físicas e psicológicas para as vítimas.

A estudante Nágila Maria disse que a palestra é de excelente qualidade.

“Muitas mulheres sofrem violência e não têm a coragem de denunciar, pelo fato de terem medo do marido ou de alguma coisa que pode acontecer com elas”.

Foram apresentados aos estudantes métodos de identificação e o encaminhamento adequado dessas mulheres para serviços especializados.

“Eu considero importante porque vai abrir a nossa visão sobre isso, é uma temática muito importante para a mulher, para a saúde das mulheres. Com esse conhecimento a gente pode estar até muitas vezes ajudando uma mulher”, disse a estudante Natasha Rodrigues.

É dessa forma, por meio do conhecimento, que a rede de proteção às mulheres vítimas de violência vai ampliando e ganhando força na sociedade.

 

Outras notícias...