Prefeitura de Rio Branco avança em se tornar uma Smart City com a implantação de geoprocessamento na capital

Inovações e atualizações de serviços têm sido feitas durante a gestão (Foto: Assecom)

A Prefeitura de Rio Branco, por meio da Secretaria Municipal de Infraestrutura (Sefin), não tem medido esforços para elevar a capital para um conceito de cidade inteligente, uma “Smart City”. Por isso, inovações e atualizações de serviços têm sido feitas durante a gestão visando melhorar o desempenho dos trabalhos realizados.

Para uma prefeitura realizar gestão territorial eficiente é fundamental contar com dados e informações georreferenciadas precisas sobre a área do município, bem como suas características de uso do solo. Por isso, a Sefin iniciou um amplo projeto de gestão territorial da cidade em que a municipalidade realizou a contratação dos serviços da empresa Topocart, que realizará a implantação do geoprocessamento, abrangendo a área urbana e de expansão urbana da cidade.

Com essa aquisição, a secretaria passará a dispor dos serviços de aerolevantamento fotogramétrico e perfilamento laser para atualizar a base cartográfica urbana cadastral e multifinalitária, o cadastro imobiliário, a atualização da planta de valores genéricos e a implantação de um Observatório de Mercado Imobiliário, utilizando como base o sistema de informações geográficas ArcGIS.

“Esse é um projeto que vai trazer uma atualização da cidade, do município, onde poderemos ter identificados os novos bairros, as novas casas, os
empreendimentos, realizados aqui. A atualização possivelmente incluirá, também, a zona rural, porém iniciaremos esse trabalho pela área urbana. O Município precisa ter seu Cadastro Imobiliário atualizado, precisamos saber a situação da cidade”, explicou o secretário municipal da Sefin, Wilson Leite.

Além disso, durante a 84ª Reunião Geral da Frente Nacional de Prefeitos (FNP), que ocorre em Brasília no Distrito Federal, o prefeito de Rio Branco, Tião Bocalom, aproveitou para explicar sobre a nova configuração do trecho da reforma tributária, isso porque a junção de impostos pode levar a eliminação do Imposto Sobre Serviços (ISS) o que pode comprometer na arrecadação da cidade.

“Estamos debatendo com o ministro Fernando Haddad que está nessa reunião e debatendo junto conosco. Esperamos não perder o ISS”, disse.