Prefeitura de Rio Branco e Procon Acre alinham parceria de conscientização contra a violência patrimonial

Encontro aconteceu no auditório da Casa Rosa Mulher (Foto: Assecom)

Com objetivo de trabalhar políticas públicas voltadas para mulheres e idosos, a Prefeitura de Rio Branco, por meio da Secretaria Municipal de Assistência Social e Direitos Humanos (SASDH), participou com o Instituto de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon/Ac) de uma reunião para alinhamento referente aos projetos que serão realizados em parceria durante o ano de 2023. O encontro aconteceu no auditório da Casa Rosa Mulher, nesta quarta-feira (18).

A parceria visa o fortalecimento das políticas de proteção e defesa dos consumidores, tendo como público principal inicial as mulheres, que sofrem dentro do círculo de violência o ‘patrimonial’. A ideia do projeto é levar o entendimento sobre seus direitos e o empoderamento da independência financeira.

“Essa parceria com a prefeitura vai nos ajudar a resolver questões no âmbito da vulnerabilidade, que é acentuada em relação aos consumidores. Nós atuamos tanto nos atendimentos quanto na orientação para o consumo, garantindo que essa proteção seja devidamente assistida, já que estarão entendendo um pouco mais os seus direitos”, diz Alana Albuquerque, diretora Presidente do Procon/Ac.

Os idosos, que são alvo de crimes de violência financeira e a juventude serão contemplados posteriormente. A ideia também consiste em, além de atender as mulheres acolhidas na Casa Rosa, também expandir para os Cras e grupos de convivência. Essa parceria será construída com um termo de cooperação.

“Nós vamos escrever o plano de ação e o próximo passo é construir, em conjunto com o Procon, esse termo de cooperação para que a gente possa continuar atendendo as pessoas que mais precisam”, explicou Ivan Ferreira, diretor de Planejamento Social e Operacional.

Rila Freze, diretora de Direitos Humanos, agradece a parceria e vê como extremamente necessária a conscientização da população sobre os direitos por eles resguardados.

“Essa política pública junto ao Procon, de fazer os encaminhamentos como também de trabalhar a conscientização da nossa população, só vem a somar com o nosso trabalho, visto que muitas mulheres e idosos sofrem essa violência patrimonial. Então essa será uma forma de incentivar e ensinar muitas pessoas”, finaliza.