Prefeitura investe na produção de grãos visando geração de emprego e renda na zona rural

José Roberto Gomes: “O calcário é adicionado na terra e depois a plantação é feita com a adubação” (Foto: Val Fernandes/Assecom)

Produzir para geração de emprego e renda sempre foi uma das preocupações desta gestão. A Prefeitura de Rio Branco, por meio da Secretaria Municipal de Agropecuária (Seagro), iniciou em 2022 o “Programa de Produção de Grãos”, que tem o objetivo de fornecer assistência técnica para os produtores e incentivar o cultivo de grãos através de mecanização e fornecimento de adubo, para proporcionar aos produtores, uma maior oportunidade de produção em grande escala, explicou José Roberto Gomes, técnico agrícola da Seagro.

“É feito essa vistoria através dos técnicos. Logo em seguida, se for constatado que pode, a prefeitura entra com o maquinário para fazer a mecanização. O calcário é adicionado na terra. É incorporado e depois a plantação é feita com a adubação.”

A iniciativa é tentar resgatar a cultura do plantio, através da entrega de recursos para o preparo da terra, visando o abastecimento local e futuramente para exportação, assim como melhorar a renda familiar dos produtores.

Um dos assentamentos responsáveis por grande parte do abastecimento de produção rural no município de Rio Branco é o Moreno Maia, onde cerca de 492 famílias estão assentadas e desenvolvem desde agricultura familiar, a pecuária e a piscicultura.

Elizaudo: “Estou feliz com olhar diferenciado da prefeitura” (Foto: Val Fernandes/Assecom)

Elizaudo Teixeira faz parte de um grupo informal de produtores assentados no Moreno Maia. Ele informou que trabalha com plantio desde criança, mas até pouco tempo cultivava apenas para consumo próprio. Seu plantio fornece milho, mandioca, abóbora, feijão, melancia, banana e arroz. Hoje a produção é dividida em 50% consumo próprio e a outra metade para geração de renda. Ele se diz feliz com o olhar diferenciado da prefeitura e afirma que os demais produtores estavam com sede de trabalhar.

“Podemos dizer que estamos vivendo a mil maravilhas. Uma produção dessas sem fertilizante e quando chegar esse adubo vai ficar uma beleza. Vamos produzir porque produzindo, a gente tem para comer e para dar. Vivíamos abandonados, agora temos quem olhe por nós. Espero que só melhore e todos estão bem animados com esse projeto da prefeitura.”

Laerte: “Está previsto para este ano a construção de galpões, aquisição de equipamentos e máquinas” (Foto: Val Fernandes/Assecom)

Segundo Laerte Soares, gerente do Departamento Técnico de Produção da Seagro, está previsto para este ano a construção de galpões, aquisição de equipamentos e máquinas para o beneficiamento do projeto de produção de grãos, assistindo assim as famílias e fortalecendo a comercialização.

“Hoje nós já temos um grande percentual de áreas atendidas, no que diz respeito a questão da mecanização, adubação, calcário. Nós temos feito a análise de solo junto a Embrapa, através de parceria, e agora para 2023, temos a intenção da prefeitura ampliar tanto a questão do quadro de pessoal, com a frota de equipamentos para fortalecer ainda mais o setor produtivo da agricultura familiar.”

Antônio: “Antes o solo era muito fraco, depois do calcário a terra reagiu. Só temos que agradecer” (Foto: Val Fernandes/Assecom)

Na propriedade do Antônio Carlos, localizada no Projeto de Assentamento Benfica, a renda principal provém da venda de laticínios. Sua propriedade foi uma das primeiras a receber o calcário. Ele afirma que após a inserção do adubo, passou a plantar milho para alimentar a criação de gado, porcos e galinhas. Até o momento o plantio é de 6 hectares. A expectativa é de 600 sacas de milho a cada 3 meses. Ele explica que antes plantava pouco, apenas para o consumo próprio, mas agora já vislumbra o aumento do plantio.

“Já fazia tempo que nós não tínhamos essa produção, na realidade. Acho que nunca tivemos. O solo aqui era muito fraco e nós não esperávamos isso, na primeira vez depois do calcário nós já vimos que a terra começou a corresponder e reagir, só temos que agradecer.”