Prefeitura participa da comemoração dos 15 anos do Programa Saúde na Escola em Brasília

Marinês Messias representa Rio Branco nos 15 anos do Programa Saúde na Escola, em Brasília (Foto: Assecom)

Em comemoração aos 15 anos do Programa Saúde na Escola (PSE), o Ministério da Saúde realizou, nos dias 7, 8 e 9 de dezembro, em Brasília, um encontro que contou com a participação recorde de 5.422 municípios, o que corresponde a 97% dos municípios brasileiros, contemplando cerca de 97,3 mil escolas pactuadas e atende a estudantes das zonas rurais, urbanas, quilombolas e indígenas, assim como o público da educação especial e da Educação de Jovens e Adultos (EJA).

A iniciativa que marca a importância da intersetorialidade entre as pautas saúde e escola trouxe os resultados e experiências que mostram a importância da articulação e integração entre escolas e Atenção Primária à Saúde, principal porta de entrada do Sistema Único de Saúde (SUS). O PSE, em parceria com o Ministério da Educação, beneficia mais de 23,4 milhões de estudantes em todo Brasil.

Para a celebração dessa história, o Ministério da Saúde convidou, trabalhadores da saúde, da educação e organizações diversas que também promovem a saúde escolar no mundo.

Considerando a articulação entre as duas áreas e sua viabilidade com o programa, a celebração contribui para a difusão de conhecimentos, para a produção de inovações no campo da intersetorialidade e para a consolidação do PSE como estratégia de atenção à saúde dos estudantes da rede pública de ensino.

O Programa Saúde na Escola (PSE) foi instituído pelo Decreto Presidencial N.º 6.286, de 5 de dezembro de 2007, como uma política intersetorial entre os Ministérios da Saúde e da Educação, com o objetivo de assegurar o pleno desenvolvimento das crianças e dos adolescentes da rede pública de ensino.

Marinês Messias, chefe da Divisão Saúde na Escola (Seme), integrou a comitiva do PSE (Acre) e foi a representante do município de Rio Branco no evento.

“Participar de um evento como este, mostra como as ações intersetoriais e as parcerias entre as secretarias tem grande valor e podem ser revertidas em boas práticas para toda a rede de ensino”, concluiu.