Prefeito de Rio Branco e presidente da Amac representa municípios em seminário realizado pelo Tribunal de Contas do Estado

TCE mediu a gestão da educação com base em indicadores (Foto: Evandro Derze/Assecom)

O prefeito de Rio Branco e presidente da Associação dos Municípios do Acre (Amac), Tião Bocalom, representando todas as prefeituras do Estado, participou na manhã desta terça-feira (29), da abertura do I Seminário de Diálogo, realizado pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE).

A função do Tribunal de Contas é fiscalizar as despesas e receitas dos estados e municípios, mas desta vez o intuito foi medir a gestão da educação com base em indicadores.

De acordo com o presidente da instituição, Ronald Polanco, poucas vezes o TCE acompanhou os indicadores da educação.

“Isso vai oferecer ao gestor os dados que permitam que essa informação seja transformada em conhecimento e, depois, ajude na gestão.”

A Escola de Contas vem trabalhando na capacitação dos jurisdicionados e gestores por meio de oficinas que ajudam a utilizar o painel de Educação disponível no site “Amazônia Transparente”.

“São 3 dimensões: você pode reconhecer o resultado educacional, as condições de gestão, e o seu contexto socioeconômico. Então com essa ferramenta, é possível o município utilizar dela para fazer seu auto diagnóstico”, explicou a auditora de controle externo da Escola de Contas, Fernanda Leite.

Como palestrantes do Seminário estão o ex-governador do Acre, Binho Marques e Flávia Nogueira, ambos consultores em Educação, Tecnologia e Conhecimento.

“O TCE lidera um movimento nacional em que começa a olhar não só as contas, mas quer saber também o que está sendo feito. O Acre saiu das piores colocações na educação nacional, os indicadores eram os piores no Brasil, e ficou entre os melhores. É possível fazer coisas boas se a gente acertar na dose”, disse Binho Marques.

Para o prefeito e presidente da Amac, Tião Bocalom, é preciso cruzar essas informações e procurar melhorar, ver onde está o gargalo e buscar a solução.

“Primeiro de tudo, para melhorar aquilo que a gente está fazendo a gente precisa de números e o professor Binho vem trazer os números que a gente tem de cada município para que possamos melhorar. Os gastos que se têm com os alunos… Há municípios que não têm um gasto tão grande, mas que o resultado está sendo melhor”, falou o prefeito.