Prefeitura de Rio Branco alerta para aumento da sífilis e promove ações de testagem rápida da doença

Objetivo da campanha é sensibilizar a população (Foto: Assecom)

Com o slogan “Sífilis, Vamos Testar Agora”, a Prefeitura de Rio Branco, por meio da Coordenadoria de Vigilância Epidemiológica da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa), segue com a programação do mês de outubro, dedicado à mobilização nacional de combate à sífilis.

A evolução do número de casos de sífilis em Rio Branco tem preocupado as autoridades em saúde, que registrou de 2018 a 2022, nada menos que 4.650 notificações positivas da doença.

O objetivo da campanha é sensibilizar a população, incentivando a prevenção, o diagnóstico e tratamento da sífilis adquirida, sífilis em gestante e sífilis congênita.

Na manhã desta quarta-feira (19), uma ação da Semsa, realizou, além de testes rápidos, distribuição de material informativo sobre a doença e distribuição de preservativos masculinos e femininos.

A coordenadora de Doenças e Agravos de Doenças Sexualmente Transmissíveis de Rio Branco, Francisca Ribeiro, comunica que os atendimentos com testes rápidos para sífilis são simples e estão sendo realizados na OCA. Na sexta-feira (20), a ação estará ocorrendo no Shopping Aquiri e, também, em um pit stop no Senadinho.

“A sífilis é uma Infecção Sexualmente Transmissível (IST) e pode ser adquirida por meio de relação sexual sem preservativo, contato com feridas expostas e da mãe para o bebê durante a gestação. Se transmitida da gestante para a criança ainda no útero (a sífilis congênita), pode causar graves danos ao feto, como parto prematuro, fissura perto da boca, convulsões, surdez, dificuldade de aprendizado e até a morte”, alerta a coordenadora.

No ano de 2021, somente em Rio Branco, foram notificados no Sistema de Informação de Agravos e Notificação (Sinan), 932 casos de sífilis adquirida, 371 casos de sífilis em gestantes, e 70 casos de sífilis congênita. Em 2022 foram notificados no SINAN, até o segundo quadrimestre, 249 casos de sífilis adquirida, 188 casos de sífilis em gestantes e 24 casos de sífilis congênita.

“Os maiores sintomas ocorrem nas duas primeiras fases, primária e secundaria – período em que a doença é mais contagiosa – Na fase terciária, a última e mais grave etapa da doença, a bactéria começa a afetar o cérebro, o coração e os ossos, gerando graves lesões no organismo. A sífilis demora até 40 anos para se manifestar dessa forma. É uma doença silenciosa e de fácil cura, mas é preciso um diagnóstico precoce, antes que se agrave o quadro da pessoa infectada, o que pode levar a morte”, concluiu Francisca Ribeiro.

Paralelo à campanha de testes rápidos, que vem sendo realizada por todo este mês de outubro, em vários pontos da cidade, os testes também estão disponíveis nas Unidades de Referência da Atenção Primária- URAPs, da Prefeitura de Rio Branco, de segunda a sexta-feira, das 8h às 16h.