Prefeitura de Rio Branco leva dignidade a moradores com revitalização de ramais nas zonas rural e urbana

Dos sete ramais da região dois já foram feitos, de aproximadamente 9 km cada (Foto: Assecom)

Em uma área rural, a trafegabilidade é de suma importância para a locomoção dos moradores e sobretudo para o escoamento da produção. Por isso, o prefeito de Rio Branco Tião Bocalom, como um grande incentivador da agricultura, deu a ordem de serviço, por meio da secretaria municipal de Agropecuária (Seagro), para o início de um verdadeiro itinerante com o objetivo de revitalizar boa parte dos ramais da capital.

A equipe concentrada na região da Baixa Verde está a todo vapor realizando a abertura dos ramais. Dos sete ramais da região, dois já foram feitos como o da Lua e o Mediterrâneo, de aproximadamente 9 km cada.

O secretário da Seagro, Eracides Caetano, contou que só no Baixa Verde, já foram feitos mais de 31 km de ramal. Ele tem visitado diariamente as obras para garantir o melhor serviço aos moradores da localidade e reforçou a importância de proporcionar as condições de escoamento dos produtos.

“Não adianta produzir e não ter ramal para escoar a produção e é isso que estamos fazendo. Eles têm que ter condições de escoar seus produtos e é isso que a prefeitura está fazendo. Sábado e domingo, não tem dia, as equipes estão fazendo esse trabalho”, esclareceu.

Dona Vera Lúcia trabalha com a produção de queijo e manteiga. Ela contou que por causa do ramal, o leite, que é a matéria prima de seus produtos, não chegava tão fresco, o que acabava refletindo no produto final. E que agora, com a revitalização os produtos chegam na cidade no prazo e mantendo a qualidade.

“Está todo mundo satisfeito, porque antigamente era tempo para sair no asfalto e agora com 10 minutos já saímos do ramal. Porque o queijo tem que ser gelado. Então daqui que chegue na cidade cai a temperatura e agora está chegando geladinho”, disse.

Além dos produtores, os estudantes da escola Municipal Dr. Zaqueu Machado, localizada no ramal Mediterrâneo, região da Baixa Verde também serão beneficiados com o ramal. O diretor Nelton Lamego disse que a comunidade está à espera dessa revitalização há mais de 12 anos.

“Eu já estava perdendo as esperanças de que um dia pudesse ver isso aqui. Nós já sofremos demais vendo o carro atolado cheio de menino, caindo em cima de uma ponte lotado de criança, tudo por causa do ramal. Quero agradecer de coração ao prefeito Tião Bocalom que durante esses 12 anos foi o único que me recebeu. Hoje, nós estamos vendo o serviço, ao prefeito meu muito obrigado”, desabafou.

Gilson Fernandes mora no ramal da Lua há mais de 28 anos. Para ele é uma grande alegria ver que agora ele e seus vizinhos poderão entrar e sair do ramal sem o receio de ter que deixar o carro na metade do caminho.

“Antes estava bastante crítico e com muita vala. A gente saia e na volta tinha que vir a pé, o carro ficava na estrada e agora está ficando ótimo o serviço. Só temos a agradecer a prefeitura”, disse.

Sabendo que a capital dispõe de mais de 2.200 km de ramais, além da região da Baixa Verde, a prefeitura de Rio Branco também destinou mais de seis equipes com o objetivo de revitalizar o maior número possível de ramais e assim facilitar a trafegabilidade dos moradores.

Quixadá, Canil, Jarbas Passarinho, Bom Jesus, Benfica, Espalha e Pica-Pau, essas são algumas das regiões que também estão recebendo as equipes da Seagro, que trabalham a todo vapor, realizando a abertura, limpeza e espalhamento da piçarra.

Jonas Gomes mora há mais de 20 anos no ramal Bom Jesus. Segundo ele acompanhou a fundação do bairro. Ele informou que nunca uma equipe foi até a região arrumar o ramal e que isso o deixa muito emocionado, tendo em vista as dificuldades que os moradores enfrentam.

“No inverno tinha muita lama que vinha no meio da canela e no verão, muita poeira. Há mais de 20 anos que moramos aqui e só agora estamos vendo alguma coisa ser feita pelo Bom Jesus”, esclareceu.

Na medida em que a secretaria municipal de Agropecuária avança na revitalização dos ramais, ela também vai reformando e construindo as pontes que vão encontrando no caminho. Desde o início da gestão já são mais de 45 pontes entregues e que outras estão sendo finalizadas para entrega.

“É uma parceria com os produtores que estamos fazendo. Então temos em torno de 22 pontes agora para acabar de concluir”, finalizou.