Prefeitura de Rio Branco participa do relançamento do Programa Cidadania e Justiça na Escola

(Foto: Evandro Derze/Assecom)

A Prefeitura de Rio Branco esteve presente, na manhã desta quinta-feira (15), no relançamento do Programa “Cidadania e Justiça na Escola”, idealizado pelo Poder Judiciário, em parceria com o Estado, município e órgãos como OAB, Defensoria Pública e Conselhos Tutelares.

O projeto busca contribuir para a formação de crianças como agentes multiplicadores de saberes e proporcionar, também, maior aproximação e interação entre o Poder Judiciário e a sociedade, conhecendo mais a realidade social e o cotidiano escolar.

A diretora de Ensino da Secretaria Municipal de Educação (SEME), Maria Zélia, disse estar muito feliz com o relançamento do Programa.

“O conteúdo trabalhado é de excelência, de extrema necessidade para a formação das nossas crianças”.

Waldirene Cordeiro, presidente do Tribunal de Justiça do Acre, explicou sobre a visão que o projeto traz para as crianças.

“Os pequenos estarão por dentro do que é cidadania, justiça, quais são os deveres e os direitos de uma criança, sempre com um movimento lúdico, para que eles entendam rapidamente o que é ser cidadão brasileiro”.

A desembargadora Regina Ferrari, coordenadoria da Infância e Juventude do TJAC, também ressaltou a importância do “Cidadania e Justiça na Escola”.

“Para que a criança não tenha os seus direitos violados, possa vir a reclamar, possa crescer consciente como um cidadão integro, buscando sempre o respeito, a igualdade, o exercício da bondade”, afirmou

Criado há mais de 10 anos, durante o período pandêmico o Programa teve que ser modificado para um formato on-line. Doze escolas da Rede Municipal de Ensino devem ser atendidas, com o intuito de alcançar mais de 1.000 estudantes. Serão realizadas palestras abordando temas como: democracia, direitos e deveres, estrutura e atribuições do Estado.

A desembargadora Regina Ferrari explica como será a prática do Projeto.

“Práticas de redações para que eles possam colocar para fora aquilo que eles aprenderam, estarão recebendo aulas, farão exercícios práticos… para que possam exercitar aquilo que vão aprender nas cartilhas”.

Ao término da etapa, em novembro, haverá uma premiação para a melhor redação. A escola vencedora receberá um tablet como reconhecimento.