Moradores de vilas e ramais agradecem ao prefeito de Rio Branco pela substituição de caixas coletoras de lixo

O Prefeitura de Rio Branco, por meio da Secretaria Municipal de Cuidados com a Cidade – SMCCI, realiza um amplo trabalho na limpeza pública em vilas e ramais da Zona Rural da capital acreana. No bairro Santa Cecília que fica localizado na BR 364, sentido Porto Velho, são coletados uma média 20 toneladas de lixo por semana. A comunidade foi uma das contempladas com a substituição de caixas coletoras de resíduos, conhecidas como “girais”, onde os próprios moradores concentram o lixo doméstico nesse ponto e que posteriormente é recolhido pela Prefeitura.

Em vários bairros e ramais as caixas estão deterioradas, com vários problemas estruturais. Por isso para manter essas comunidades limpas e organizadas, 50 girais de 20 pontos específicos, estão sendo substituídos por novos.

Nesses locais a coleta de resíduos ocorre três vezes por semana, e também é feito sistema porta a porta, na frente da casa dos moradores. As substituições das caixas coletoras beneficiam mais de 800 famílias.

Adelcio Ferreira, presidente da Associação de Moradores do Santa Cecília, agradece ao Prefeito de Rio Branco pelo empenho em coletar e substituir as caixas velhas que estavam sem manutenção há mais de quatro anos. “Essas caixas que recebiam o lixo, não davam conta, estavam muito danificadas. Agora com essas novas, tudo fica organizadinho, limpo, a gente agradece muito o prefeito Tião Bocalom e ao secretário Joabe Lira, por olhar pela nossa comunidade. Iniciativa que gestões passadas não fizeram”, destacou Adelcio.

O morador do bairro Santa Cecília, Edilson Rodrigues, também fez questão de agradecer o Secretário da  SMCCI, pelas substituições das caixas coletoras.  “Esse é um trabalho que melhora e facilita o dia a dia de todos nós moradores. O secretário Joabe Lira está de parabéns, por apresentar uma gestão de responsabilidade e compromisso. Esses girais vieram em boa hora, há anos estávamos precisando de novos. Assim podemos depositar o lixo com segurança e sem ficar espalhado na rua”, concluiu Edilson.