Prefeitura recebe representantes do Centro de Apoio às Pessoas com Deficiência Física do Acre

Reunião discutiu como levar mais dignidade aos deficientes físicos que utilizam o Transporte Coletivo na capital (Foto: Felipe Freire/Assecom)

Os usuários dos Transportes Coletivos da capital tem o apoio incondicional do prefeito Tião Bocalom que reconhece que o serviço oferecido à população rio-branquense está defasado há muitos anos. Para levar melhorias, em apenas 14 meses de gestão, a Prefeitura já reduziu o preço da tarifa de ônibus de R$ 4,00 para R$ 3,50, contratou emergencialmente uma nova empresa de transporte, adquirindo novas frotas de ônibus e também interviu no sistema, assumindo temporariamente o controle do Transporte Público no município.

O prefeito Tião Bocalom, se preocupa e preza em levar atendimento digno a todas as classes que precisam utilizar o Transporte Público. Nesta quarta-feira, 16, o prefeito, acompanhado do chefe de gabinete e secretário Municipal da Casa Civil, Valtim José, do Assessor Especial de Articulação Institucional, Helder Paiva, do líder do prefeito na Câmara dos Vereadores, Raimundo Castro, do superintendente de Transporte e Trânsito (RBTrans), Anízio Alcântara, e do diretor de Transportes, Clendes Vilas Boas, esteve reunido com os representantes do Centro de Apoio às Pessoas com Deficiência Física do Acre (Capedac).

Na reunião foi discutido como levar mais dignidade aos deficientes físicos que utilizam o Transporte Coletivo. O conselheiro da Capedac, Mazinho Silva, informou que o grupo reconhece o esforço que a gestão Bocalom tem feito para levar melhorias para toda a comunidade. Segundo ele foi decidido em reunião a criação de uma Comissão, que vai beneficiar toda a categoria. “A nossa ideia é realmente entrar para contribuir, darmos as mãos. Vamos montar uma comissão para tratarmos não só do transporte público, que transporta pessoas com deficiência, mas também às pessoas com deficiências severas. Nós acreditamos que com essa parceria, vamos fortalecer o sistema e atender toda a população”, ressaltou o conselheiro.

Anízio Alcântara enalteceu que a gestão está compromissada em levar qualidade do serviço para todos os munícipes. “Conversamos no sentido de buscar formas exequíveis de viabilizar o serviço de transporte de pessoas com comorbidades severas. São as pessoas que não acessam o sistema comum de transporte. Eles precisam de deslocamento que estão fora dos itinerários. Nós definimos que estamos fazendo uma comissão para tratar esse e outros assuntos periféricos. No final desse pleito, vamos ter um trabalho com um nível de conforto melhor para os usuários com comorbidades severas”, concluiu Anízio Alcântara.