Prefeito de Rio Branco participa de Seminário de Mobilização: Conhecendo o Painel de Indicadores Educacionais do Acre

 

Tião Bocalom: “A qualidade de vida só vira com a Educação” (Foto: Evandro Derze/Assecom)

O prefeito de Rio Branco e presidente da Associação dos Municípios do Acre (Amac) Tião Bocalom participou, por meio de videoconferência, na manhã desta quarta-feira, do Seminário de Mobilização: Conhecendo o Painel de Indicadores Educacionais do Acre.

O objetivo do Seminário foi permitir que os dirigentes e equipes gestoras das Secretarias Municipais e Estadual de Educação compreendam a importância da gestão da educação orientada por indicadores, utilizando o painel de indicadores educacionais do Tribunal de Contas do Estado.

O painel nacional está sendo complementado com indicadores que ajudam a compreender melhor, e de forma mais detalhada, as especificidades de cada Estado e de seus Municípios.

O mediador do encontro foi o presidente do Tribunal de Contas do Estado, Conselheiro Ronald Polanco que contou com a participação também da Conselheira Naluh Gouvêia, do presidente da Atricon e Conselheiro do TCE/RS, César Miola, do ex-governador e ex-secretário de Educação do Acre, Binho Marques, da secretária Estadual de Educação Socorro Néri, da secretária Municipal de Educação Nabiha Bestene, entre outras autoridades.

Para o prefeito Tião Bocalom que já foi professor e agora é gestor saber desses indicadores educacionais é muito importante. “Os Tribunais de Contas, hoje, estão preocupados com a orientação aos prefeitos, não é só punir e esse olhar diferenciado que o TCE está tendo sobre a gestão pública, e principalmente dos recursos da Educação, é fundamental”, explicou o prefeito.

O prefeito é um defensor de que uma das saídas para melhorar a qualidade de vida das pessoas é através da Educação. “A qualidade de vida só vira com a Educação. As pessoas estando preparadas para o mercado de trabalho é evidente que vão ganhar mais dinheiro e ganhando mais dinheiro melhora as condições de vida das pessoas”, concluiu Bocalom.