Secretários de Agricultura visitam lavoura de café em Acrelândia como incentivo para implantação de projeto em Rio Branco

Eracides Caetano: “Novos projetos serão implantados com o objetivo de fortalecer a agricultura familiar” (Foto: Assecom)

O secretário Municipal de Agropecuária (Seagro), Eracides Caetano, e sua equipe técnica, participaram, no último sábado, 5, de uma roda de conversa sobre café, na fazenda do produtor de café de Acrelândia, Wagner Álvares.

Também estiveram presentes na visita o engenheiro agrônomo Edson Costalonga, que faz acompanhamento da lavoura do produtor, o prefeito de Acrelândia, Olavo Francelino, os secretários de agricultura, agronegócio e agropecuária dos municípios de Plácido de Castro, Senador Guiomard, Acrelândia e Rio Branco, o gerente do Banco da Amazônica, e produtores rurais que tem interesse de empreender, com plantios de café no Acre.

Na oportunidade o fazendeiro Wagner Álvares, levou toda a comitiva para conhecer também o galpão onde serão instalados mais de seis secadores para atender as demandas dos plantios de café de toda região.

O Secretário Eracides Caetano destacou o seu interesse em introduzir a produção de café e de outras culturas, em Rio Branco, por meio de projetos.  “Nós temos vários ramais em Rio Branco que podem ser implantadas a produção de café, como também mais de dois mil e quinhentas famílias que trabalham com agricultura familiar. Além de áreas para produção do café como Moreno Maia, no Oriente, Capela entre outros”, informou o secretário de Rio Branco.

Segundo Eracides, novos projetos que serão implantados têm como objetivo fortalecer a agricultura familiar com o plantio de café, banana e açaí.  “Nós estamos com um novo projeto de mecanização e a gente incluiu o plantio do café, para pequenos produtores, a banana e estamos trabalhando no projeto do açaí. Nos próximos meses nós estaremos com o projeto pronto para executar”, destacou.

O Secretário de Agricultura de Acrelândia, Mauro Correia agradeceu o prefeito Tião Bocalom e o secretário Eracides Caetano que começaram o projeto de produção do café, em Acrelândia, que hoje gera bons resultados. “É uma gratificação poder receber parceiros aqui em Acrelândia. O nosso secretário Eracides e o prefeito Tião Bocalom, iniciaram esse projeto no nosso município que hoje representa sessenta e cinco por cento da produção do estado de café, e tudo isso começou quando o prefeito e o secretário estavam a frente no município. Hoje nós estamos tendo bons resultados com o plantio dessa cultura”, explicou o secretário de Acrelândia.

O secretário de agricultura de Senador Guiomard, Gleison Lopes, também participou da visita de campo e destaca que um dos principais objetivos da prefeitura do município é incentivar a produção de café.  “A ideia é nos juntarmos e aumentar nossas parcerias, logo que fazemos divisa com Rio Branco, principalmente, na região da Baixa Verde. O nosso principal objetivo é atender bem o produtor, para que a gente possa produzir cada vez mais”, declarou o secretário de Senador Guiomard.

O engenheiro agrônomo, Edson Costalonga, que faz consultoria para o produtor de café Wagner Álvares, também esteve presente na visita e deu orientações para os produtores e visitantes de outros municípios. “Essa é uma programação a ser cumprida ao longo do ano. Um acompanhamento a cada sessenta dias na lavoura, que busca fazer o melhor possível para que as plantas tenham uma melhor performance. Nessa visita nós viemos verificar como está o andamento da lavoura, verificar os ajustes nutricionais das tabelas de adubação, ver como está a questão das Pragas e doenças, se não precisa fazer nenhuma pulverização”, realçou o engenheiro.

O agrônomo destacou que os produtores e visitantes demonstraram muito interesse na cultura, visto que tem uma rentabilidade maior comparado à outras culturas, como a pastagem, a criação de gado, o milho e a soja que está começando a entrar no estado. Porém o café, devido a sua rentabilidade em um pequeno pedaço de terra, desperta mais o interesse dos produtores.  “O café é uma commodities assim como o petróleo. A tendência de consumo dele é só aumentar e o café de qualidade tem um valor mais agregado do que o café tradicional”, orientou o Edson Costalonga.

De acordo com Edson Costalonga, a qualidade do café também depende do processo depois da colheita, em que as chances do café se tornar de qualidade depende do processamento.  “Se você colhe o café em um estágio bem vermelhinho, as chances de um café de qualidade são bem maiores”, finaliza o engenheiro agrônomo.