Permissionários do Aquiri Shopping são recebidos por Tião Bocalom e fazem reivindicações

O prefeito de Rio Branco, Tião Bocalom, recebeu na tarde desta quinta-feira, 3, na sede da Prefeitura, um grupo de permissionários do Aquiri Shopping, mantido pelo Município. A reunião foi agendada pelos vereadores Rutênio Sá, Samir Bestene e Lene Petecão, preocupados com a situação dos pequenos empresários estabelecidos no local.

Ao todo, são 486 lojas e muitas delas estão fechadas devido à crise econômica, agravada com a pandemia do Novo Coronavírus. O grupo entregou ao prefeito um abaixo-assinado contendo algumas reivindicações.

Participaram do encontro o assessor para assuntos legislativos, Helder Paiva, o chefe do Gabinete Militar, coronel PM-Ezequiel Bino, e a diretora da Secretaria Municipal de Agropecuária (Seagro) Fabíula Moreira, que explicou os motivos da reunião e detalhou as reivindicações dos empresários.
Dentre as reinvindicações estão a isenção do pagamento do aluguel das lojas por mais 90 dias e a diferenciação dos valores do aluguel por localização em cada um dos três pisos do shopping.

O vereador Rutênio Sá explicou que será criada uma comissão para auxiliar os permissionários. “Conversando com os permissionários nós trouxemos os seus anseios para o prefeito. Ele acatou os anseios dos comerciantes e nós criamos uma comissão para discutir muitas questões do shopping para revitalizá-lo. Vamos reorganizar também o shopping por áreas”, destacou.

Satisfeita com os resultados, a vereadora Lene Petecão também se posicionou sobre a reunião com Bocalom. “A gente sempre esteve ao lado desses trabalhadores, que vêm amargando um prejuízo muito grande por conta da pandemia e de outros fatores e, agora, o prefeito deu uma solução. Vai dar um tempo de três meses, sem pagar o aluguel de suas lojas, para que eles se reestruturem. E isso é bom quando um prefeito dialoga com a população. Todos saem ganhando. O prefeito nos ouviu, ouviu os permissionários”, disse a parlamentar.

O prefeito demonstrou sensibilidade aos problemas enfrentados pelos permissionários. “Essa pandemia provocou um estrago muito grande na economia. Nós vivemos num estado muito pobre. Ela continua (a pandemia) e as pessoas já nem se movimentam muito, procurando gastar o mínimo possível. Naquele local não se vende arroz, feijão. Se vende produtos que as pessoas podem deixar para comprar depois. Logo, sabemos que àqueles empreendedores estão passando por um momento difícil”, disse o prefeito.

Bocalom afirmou que entende o reclame dos lojistas. “Esse momento é muito difícil para eles. Em 2021 nós os isentamos do pagamento do aluguel de suas lojas e agora, a pedido dos vereadores, decidimos prorrogar essa isenção por mais noventa dias, para que todos possam manter seus negócios”, afirmou Bocalom, acrescentando que estará sempre aberto ao diálogo franco e honesto.