População e Sinttpac pedem exclusão de operadoras do transporte coletivo em Rio Branco

Terminal urbano amanheceu, neste domingo, completamente vazio (Foto: Dircom)

O terminal urbano da cidade de Rio Branco é um dos lugares mais movimentados da capital acreana, onde circulam milhares de pessoas todos os dias, mas neste domingo, 16 de janeiro de 2022, o espaço parece deserto.

É que as empresas operadoras do sistema de transporte coletivo decidiram tomar uma decisão radical, recolheram os ônibus para a garagem, pegando toda a população de surpresa. Para os usuários do transporte público a Prefeitura deveria proceder a exclusão das operadoras na capital.

“O melhor é que a Prefeitura tire essas empresas e coloque outras melhores. Moro no São Francisco e tive que vir a pé para o trabalho e se não quiser voltar do mesmo jeito terei que pagar um mototáxi. Não tenho dinheiro para isso”, disse indignado, Helder Souza.

Seu Francisco é aposentado e precisa do coletivo para se deslocar. Na opinião do idoso a Lei precisa pesar sobre essas pessoas referindo-se aos empresários do transporte público que, em sua maneira de ver, brincam com a sociedade. “Os trabalhadores não tem culpa”, disse.

Francisco Marinho, presidente do Sindicato dos Trabalhadores do Transporte de Passageiros e Cargas do Acre (Sinttpac), chegou o momento da prefeitura tomar a decisão de afastar essas empresas, que, na opinião do sindicalista, há muitos anos vem atrapalhando a vida da população.

“A Prefeitura já fez a parte dela com os vereadores, inclusive fornecendo recursos para subsidiar as gratuidades. O dinheiro foi para pagamento de salários atrasados e, mesmo assim, as empresas não recolhem os impostos dos trabalhadores e quem está sofrendo é a população e os trabalhadores”, observou Marinho.

Conforme o sindicalista, os servidores não tem absolutamente nada a ver com a decisão das empresas. “Só tem uma solução; trocar imediatamente as operadoras do transporte público”, finalizou o presidente.