FGB inicia análise de mérito e relevância de 160 propostas de Edital do Fundo Municipal de Cultura

A Prefeitura de Rio Branco, por meio da Fundação Municipal de Cultura, Esporte e Lazer Garibaldi Brasil (FGB), lançou o Edital n.º 01 do Fundo Municipal de Cultura, instituído no âmbito do Sistema Municipal de Cultura, que incentiva a cultura através da arte.

Segundo o assessor de Planejamento da FGB, João Guedes Filho, neste ano de 2021 o prefeito de Rio Branco, Tião Bocalom, aumentou o valor dos editais em 50%. No ano passado o valor era R$ 1.000.000,00 e esse ano é R$ 1.500.000,00, contribuindo ainda mais com a cultura do município. “Esse ano o prefeito deu um ‘plus’ no valor desses editais e a importância é que aumentou o número de pessoas que procurou pelo edital, gerou cultura em todos os segmentos de importância social, cultural, para o município muito grande que é Rio Branco”, disse o assessor.

O edital recebeu 238 propostas e, desse total, 160 foram selecionadas para a segunda fase de avaliação, onde as propostas vão passar por uma análise de mérito e relevância, em que uma comissão, composta por dois membros da sociedade civil, indicados pelo Conselho Municipal de Políticas Culturais, e 1 membro indicado pela gestão da FGB, vão analisar: a Contribuição Cultural Artística, o Objetivo Social do Projeto, ou seja, se o projeto contribui ou não para o desenvolvimento do rio-branquense, e o Orçamento, para verificar quais projetos serão levados adiante para serem aprovados ou não.

“Essa comissão faz o mesmo trabalho só quanto ao mérito do projeto, o alcance social, a relevância, a importância do projeto para cada área. Esse processo é feito, está sendo avaliado nesse momento. Na próxima segunda-feira deve sair o resultado provisório, então só temos acesso ao alcance real do projeto e qual a finalidade, após esse projeto retornar para a gestão para gerenciar a divulgação e demais coisas”, explicou o assessor.

Vale ressaltar que, uma das partes mais importantes da análise de mérito e relevância é o objetivo social do projeto para saber se vai contribuir para o desenvolvimento da população da capital. “Esses projetos conseguem, de certa forma, diminuir violência, tirar jovens da marginalidade, e outros benefícios sociais que a lei do sistema se propõe a fazer”, informou o assessor.