“Sugestões de Tião Bocalom na COP26 tiveram boa repercussão”, diz secretário de Meio Ambidepois de participar de videoconferência

Normando: “As palavras do prefeito Tião Bocalom fizeram coro junto com outros segmentos da sociedade geral” (Foto: Dircom)

Representando o Município de Rio Branco, o secretário municipal de Meio Ambiente (Semeia), Normando Sales, participou nesta quinta-feira, 18, de uma reunião, por meio de videoconferência, promovida pelo ICLEI Brasil – Governos Locais pela Sustentabilidade e outras organizações que apoiaram a delegação acreana durante a COP26, em Glasgow, na Escócia, entre 31 de outubro e 12 de novembro deste ano.

Segundo o secretário, o encontro virtual teve como objetivo fazer uma avaliação da participação das pessoas que foram a COP26 e dos assuntos que foram discutidos no evento.

“O que me chamou muito a atenção durante a reunião, é que o pessoal que estava representando o ICLEI em Glasgow fez um depoimento lindo a respeito da nossa participação no evento, da posição do prefeito Tião Bocalom. E eles colocaram de forma contundente que a maneira como o prefeito se colocou lá, as posições dele e, coincidentemente, quando ele afirma que a questão ambiental, se o ser humano não for o maior beneficiário dele, talvez não seja importante a gente cuidar do Meio Ambiente”, relata Sales.

De acordo com o secretário, para sua alegria muitos setores da sociedade mundial estão fazendo a mesma defesa. “Inclusive, um indígena suruí, uma das pessoas que mais se destacaram na COP26, afirma categoricamente que se na questão do Meio Ambiente não estiverem o ser humano, o cidadão, as pessoas que vivem na floresta, nos mais distantes lugares, às margens dos rios, os quilombolas, nas aldeias indígenas, as pessoas que vivem no meio da floresta, não vale a pena”, destaca.

Ainda de acordo com Normando Sales, durante a reunião representantes do ICLEI deram uma notícia extraordinária: que as sugestões de Tião Bocalom na COP26 tiveram muito boa repercussão. “Tiveram ecos. Obviamente que não foi só por conta da posição do prefeito. Mas, ecoou bem, porque as palavras dele fizeram coro junto com outros segmentos da sociedade geral”, explica.

Fundo de desenvolvimento

O secretário anunciou que o Banco Interamericano de Desenvolvimento criou um fundo específico para apoiar atividades nas áreas de Saúde, Social, Meio Ambiente e Educação, para as pessoas que vivem na região amazônica, sobretudo aquelas que vivem nas margens dos rios, nas florestas, os quilombolas, nas aldeias indígenas, ou que dependem da agricultura de subsistência, para fomentar a questão social e a agricultura de baixo carbono.

“Essa é uma notícia extraordinária e Rio Branco, pela participação do prefeito em Glasgow, vai ser uma das principais capitais da Amazônia brasileira que será contactada pelo Banco Interamericano para se credenciar, definir um projeto para desenvolver na nossa cidade. Então, isso para nós é motivo de orgulho, de alegria, porque, ao contrário do que muita gente zombava, da visita do prefeito e minha lá (em Glasgow), as portas começam a se abrir”, enfatiza Sales.

O secretário revela ainda que da região amazônica, o prefeito de Rio Branco foi o único a se fazer presente à COP26 e que muita gente está se lamentando por não ter ido participar do evento.

“E, na primeira semana, ele foi o único prefeito das capitais brasileiras que esteve presente. Os outros prefeitos que foram, participaram somente da segunda semana. Portanto, o prefeito acompanhou e viu de perto os principais temas que foram discutidos já na abertura da COP26”, finalizou o secretário.