Prefeitura de Rio Branco continua com a Busca Ativa Escolar para resgatar estudantes afastados da escola

Garantir cada vez mais o acesso aos estudantes aos conteúdos e atividades escolares para que concluam o ano letivo 2021, acompanhando cada aluno e oferecendo métodos pedagógico por meio do ensino. Esse é objetivo do trabalho feito pela Prefeitura de Rio Branco, por meio da Secretaria Municipal de Educação (Seme), que realiza a Busca Ativa Escolar, uma iniciativa que vai até os bairros e comunidades para resgatar os estudantes e orientar sobre como participar ainda mais das atividades letivas.

E como parte dessas ações, a Busca Ativa Escolar realizou, na manhã desta terça-feira, 8, buscas pelo bairro Calafate e adjacência para identificar alunos que estão matriculados na Escola Municipal Juvenal Antunes, mas que não estão participando das atividades. Na visita aos bairros foram realizadas conversas com pais e alunos, identificação dos estudantes que não estão participando das aulas e orientações sobre como retornar para concluir o ano letivo. E o trabalho continua com uma série de ações para identificar e resgatar esses estudantes que estão afastados das escolas.

De acordo com a secretária Municipal de Educação, professora Nabiha Bestene, essa é uma iniciativa em conjunto com as diretorias das escolas e trabalhadores em educação com o objetivo de promover cada vez mais o acesso ao ensino e contribuir com um ensino sempre melhor. “A Busca Ativa é uma estratégia com o apoio da Unicef que apoia municípios e estados na garantia de direitos de cada menina e menino, em especial o direito à educação”, disse Nabiha.

A coordenadora da Busca Ativa (Seme), Neyvanara Ferreira, ressaltou a importância dessa iniciativa e está convocando a todas as unidades escolares, profissionais, pais e responsáveis para que possam contribuir com a aprendizagem dos estudantes. Ela explica que o vínculo com a escola, mais do que nunca, é necessário pois a educação foi uma das mais prejudicadas.

“Mas nós estamos em busca de cada estudante para que não abandone ou se desmotive de aprender, pois lugar de aluno é na escola e por isso devemos garantir a aprendizagem de todas as crianças”, destacou Neyvanara.

Neyvanara informou que a pandemia não revoga o direito à educação, que vale tanto para atividades educacionais presenciais como não presenciais. Ela ressalta que o ano não está perdido, mesmo no método escalonado, mas é preciso que todos renovem a cada dia esse compromisso com a educação, seja o poder público, os professores, pais e responsáveis. “Todos juntos por uma educação cada vez melhor”, complementou.