Prefeitura de Rio Branco participa de Fórum sobre Desenvolvimento Sustentável

Fórum das Cidades Pan-amazônicas (Foto: Dircom)

O prefeito de Rio Branco, Tião Bocalom e o secretário do Meio Ambiente (Semeia) Normando Sales, participaram de uma videoconferência sobre o “Fórum das Cidades Pan-amazônicas” em seu gabinete de trabalho, na manhã desta terça-feira, 19.

O Fórum foi criado como um espaço para fortalecer a cooperação regional descentralizada no que se refere as iniciativas regionais para a sustentabilidade. O objetivo foi estabelecer plataformas de governos locais impulsionadas pelos governos municipais, estaduais e suas secretarias de Planejamento e Desenvolvimento, promovendo o intercâmbio de conhecimentos, práticas e o modelo para desenvolvimento sustentável entre os governos subnacionais da Amazônia.

Com isso, ocorre a disseminação de experiências em nível regional e criam um mecanismo de cooperação que permita posicionar as cidades amazônicas com referência mundial em desenvolvimento urbano sustentável em que gestores colaboram mutuamente para a implementação e o monitoramento para o cumprimento dos objetivos do desenvolvimento sustentável das nações unidas.

Segundo o secretário da Semeia, Normando Sales, o Forum teve como finalidade integrar a cidade de Rio Branco com as experiências da Fundação Konrad Adenauer que pratica na América Latina a sustentabilidade.

“Nos incorporar nessa nova aliança e também como foi apresentado nesse Fórum hoje, as experiências e as iniciativas que a gestão do prefeito Bocalom está implementando e que eles gostaram e vão replicar em outras cidades da América Latina. E a partir dera iremos receber aporte tecnológico, técnico de elaboração de projetos, mas, também teremos um aporte financeiro tanto na parte gratuita quanto com operações financeiras mais de longo prazo para investimento maiores ”, disse o secretário.

O prefeito Tião Bocalom falou sobre a importância em participar do Fórum das Cidades Pan Amazônicas e também sobre a COP-26 (Conferência da ONU sobre mudanças climáticas) que será realizada na Escócia.

“É importante porque nós estamos levando uma nova experiência de relacionamento entre o ser humano e o seu meio ambiente. E infelizmente a vida inteira se tratou o ser humano como o agressor do meio ambiente e nunca se procurou fazê-lo se entender. Nós precisamos que o ser humano seja amigo do meio ambiente e não inimigo. Queremos fazer a educação do ser humano para que ele entende que o meio ambiente é fundamental que esteja bom para que ele tenha qualidade de vida”, afirmou o prefeito.