Prefeito participa de cerimônia de volta às aulas presenciais em escola no Calafate, em Rio Branco

 

Prefeito Bocalom entrega Kit escolar a aluno da Juvenal Antunes (Foto: Dircom)

A cerimônia de volta às aulas presencias na escola Municipal Juvenal Antunes aconteceu, às 7h, desta segunda-feira, 18, com a presença da secretária Municipal de Educação, professora Nabiha Bestene, do vereador Antônio Moraes, alunos e gestores da escola e o prefeito Tião Bocalom que disse estar feliz em viver esse momento, de retorno das aulas, com o controle da pandemia e pediu que professores, servidores e alunos obedeçam os ensinamentos passados durante a capacitação.

A escola Juvenal Antunes foi fundada em 1992 e hoje atende 501 alunos do pré-escolar ao Ensino de Jovens e Adultos (EJA), em três turnos. A volta às aulas é para 1/3 do 5º ano. Toda a equipe da escola foi treinada para esse momento.

“Estamos retornando com todas as cautelas, com todas as orientações do decreto nº 7.225/2020. Todos os cuidados eles são importantes. Melhoramos muito com a vacinação, mas não podemos descuidar do uso da máscara e do álcool em gel. Nossa escola está preparada para esse momento”, informou a diretora da escola Maria Edilene.

“Hoje estamos iniciando nossas aulas presenciais com todos os cuidados possíveis. São 30 unidade de ensino, dos 5º anos com turmas de manhã e à tarde”, explicou Nabiha Bestene, secretária Municipal de Educação.

“A Juvenal Antunes se adequou. Hoje é o início das aulas e a escola está de parabéns por esse retorno”, disse o vereador Antônio Moraes.

De acordo com o prefeito Tião Bocalom esse retorno é de apenas 30% dos alunos e que irão tentar recuperar parte do prejuízo deixado pela pandemia . “Esse retorno será aumentado gradativamente e esperamos conseguir recuperar os danos na questão educacional. O estrago foi grande com as aulas on-line. Muitas famílias não tinham celular, não tinham um computador, mas tenho certeza da convicção dos nossos professores, dos nossos gestores, da nossa secretária de Educação, de que nós precisamos recuperar parte desse estrago”, concluiu Bocalom.