Estiagem em Rio Branco só deve acabar em novembro, prevê Defesa Civil municipal

O coordenador Municipal de Defesa Civil, major BM Cláudio Falcão, informou essa semana que o longo período de estiagem que atravessa Rio Branco, com o menor índice pluviométrico registrado nos últimos 91 anos, só deve acabar no próximo mês de novembro. O fenômeno fez com que o nível das águas do rio Acre atingisse o menor índice desde o ano de 2016. A cota desta quinta-feira, 7, atingiu 1,66m.  4 (quatro) centímetros a menos que no mesmo período do ano passado.

Nível do Rio Acre no dia 7 do mês de outubro ano  2015 a 2020

 

DIA/MÊS ANO

2015

ANO

2016

ANO

2017

ANO

2018

ANO

2019

ANO

2020

7/OUT 2,38

 

3,08

 

2,21

 

1,74

 

2,01

 

1,70

 

Diante desse cenário, a prefeitura, por meio de suas secretarias, continua mobilizada para promover o atendimento às famílias que estão sendo afetadas pelo fenômeno climático, inclusive com o abastecimento de água aos moradores de 17 comunidades da zona rural, por meio da coordenadoria Municipal de Defesa Civil (Comdec) e a secretaria Municipal de Agricultura Familiar e Desenvolvimento Econômico (Safra). Por mês são gastos 800 mil litros de água para abastecer as 2.410 famílias, cerca de 12 mil pessoas, na zona rural de Rio Branco.

Temporais

Cláudio Falcão explicou que os fortes temporais que atingiram a capital nos últimos dias são característicos dos períodos de estiagem. “Neste período de estiagem é muito comum que tenhamos eventos climáticos extremamente severos”, disse o coordenador, lembrando que em 2021 já foram registrados cinco desses eventos, quatro deles no mês de setembro.

Ele salientou que a prefeitura está atenta a esses fenômenos e quando isso ocorre equipes da Comdec e outras secretarias trabalham no sentido de mitigar o problema, intervindo para que não cause grandes impactos à população. “Temos feito a retirada de árvores que caem durante esses temporais e prestado todo o socorro às famílias atingidas”, concluiu.