Prefeitura assina Termo de Colaboração com Diocese de Rio Branco garantindo serviços de desinfecção e esterilização do Santa Juliana

Um Termo de Cooperação Técnica foi assinado na tarde desta quarta-feira, 22, pelo prefeito Tião Bocalom, a secretária Municipal de Saúde, Sheila Andrade, o médico Jackson Ramos e o vice-presidente de Obras Sociais da Diocese de Rio Branco, padre Jairo Coelho.

Também participaram do ato os secretários Valtim José (Casa Civil) e Hélder Paiva da Assessoria Política.

O convênio garante que a prefeitura de Rio Branco, por intermédio da secretaria Municipal de Saúde, possa custear a aquisição de uma lavadora ultrassônica para garantir a eficácia do processo de desinfecção e esterilização de toda roupa usada por servidores e pacientes do Santa Juliana.

“Enquanto secretária de saúde estou muito feliz em repassar esses recursos para compra de uma máquina automática para fazer a esterilização de toda a roupa usada naquela unidade hospitalar, será algo benéfico para todos”, ponderou Sheila Andrade.

O termo de colaboração transfere um aporte no valor de R$ 58 mil, oriundos de emenda parlamentar do então vereador Jackson Ramos. “Para mim é uma honra poder estar contribuindo com as obras da Diocese de Rio Branco, através do direcionamento destes recursos de emenda parlamentar, por intermédio do Município, onde está situado o hospital”, ressaltou Ramos.

As ações de prestação de serviço, assim como as ações da Diocese  na capital, realizadas pelo Hospital Santa Juliana serão potencializadas com melhorias, tanto para os usuários do hospital, quanto para os servidores.

“Todo recurso que vem ajudar na saúde é muito importante, porque, saúde é algo que devemos preservar. Quanto a lavanderia esse dinheiro chega em boa hora para que os nossos pacientes tenham a segurança necessária, todas as vezes que estiverem ali internados na unidade hospitalar e também para os nossos colaboradores”, ressaltou o sacerdote.

O prefeito Tião Bocalom ressaltou que cada valor investido na saúde merece destaque. Na ótica do gestor, a saúde precisa e deve ser tratada como uma questão humanitária, em qualquer circunstância e, que é dessa maneira, que sua gestão tem procurado tratar o tema.

“Quem quer fazer saúde tem que fazer com o coração, tem que fazer da Saúde um sacerdócio, e não apenas pelo dinheiro. Para nós o Hospital Santa Juliana é uma referência muito grande, possui um trabalho espetacular, humanitário e humanizado. Essa parceria que foi feita pela prefeitura, através da Secretaria de Saúde com o hospital é de suma importância”, disse Bocalom.