Prefeitura e Ministério Público alinham estratégias para atendimento às pessoas em situação de rua no HUERB para

A Prefeitura Municipal de Rio Branco, por meio da Secretaria Municipal de Assistência Social e Direitos Humanos (SASDH), participou de uma reunião de alinhamento com Ministério Público do Estado do Acre (MPAC), na última quinta-feira, 16, para discutir o acolhimento de pessoas em situação de rua pelo sistema de saúde em Rio Branco.

Participaram da conversa, a diretora de Direitos Humanos da SASDH, Rila Freze, a coordenadora do Centro de Referência Especializado em Pessoas em Situação de Rua – Centro Pop e equipe técnica, a promotora de Justiça Patrícia Paula dos Santos, o coordenador do Núcleo de Apoio e Atendimento Psicossocial (Natera), Fábio Fabrício, a gerente-geral do Pronto Socorro do Acre, Carolina Pinho.

Durante o encontro, a equipe da prefeitura colocou em pauta questões que precisam ser superadas para uma possível melhoria no atendimento às pessoas em situação de rua que procuram hospital, em Rio Branco.

As necessidades e as dificuldades foram apresentadas a gerente do Pronto Socorro e a equipe da Promotoria de Direitos Humanos do MPAC.

A gerente também relatou as dificuldades dentro da unidade e falou da importância da interação com a rede, para traçar um melhor suporte aos usuários do hospital. “Essa questão das pessoas em situação de rua é muito delicada e pedimos um olhar mais aguçado, para estarmos trabalhando na melhoria do atendimento”, informou a gerente.

O coordenador do Natera, Fábio Fabrício também reiterou a necessidade do trabalho em conjunto para aprimorar o modo como o sistema de saúde acolhe a população em situação de vulnerabilidade social. “Encontros como este são de fundamental importância para pôr luzes aos principais desafios no atendimento de pessoas em situação de rua. É um atendimento que exige estratégia diferenciada por parte dos agentes de saúde”, disse.

“Nós trouxemos aqui a questão do melhor acolhimento e atendimento dentro do PS. Viemos solicitar fiscalização nos serviços, apoio às equipes que diariamente têm dificuldades dentro da unidade. Esse apoio é fundamental para que o atendimento seja realizado com celeridade e da melhor forma, de uma maneira humanizada. Essas pessoas são excluídas de todo tipo de respeito e amor, estaremos buscando esse alinhamento com as unidades que compõem a rede, nossa obrigação é atender bem todas as pessoas, nossa missão é promover dignidade humana.” afirmou Rila Freze.

A promotora Patrícia Paula, fez um balanço positivo do encontro. “Nossa reunião teve como objetivo nos alinharmos para que o morador de rua tenha sua dignidade como pessoa respeitada”, concluiu Patrícia.