Prefeitura de Rio Branco realiza Fórum de Saúde Mental para os adolescentes no Horto Florestal

A prefeitura de Rio Branco por meio da secretaria Municipal de Saúde (Semsa), através das Urap’s Vila Ivonete e Roney Meireles em parceria com a secretaria Municipal de Meio Ambiente (Semeia) e a Fundação Garibaldi Brasil (FGB), realizou na manhã desta sexta-feira, 17, no Horto Florestal, localizado no bairro Vila Ivonete, um Fórum de Saúde Mental do Adolescente com o tema: Setembro mais colorido: Todos pela Vida!

A ação envolve as áreas de saúde mental, saúde do adolescente e o Núcleo de Atenção à saúde e prevenção de violências. O movimento do setembro Amarelo é mundial e ocorre no Brasil desde 2014. Ele tem duração de 30 dias e foi escolhido para acontecer no nono mês do ano, pois o dia 10 de setembro é o Dia Mundial de Prevenção do Suicídio. No Brasil, ela é uma iniciativa do Centro de Valorização da Vida (CVV).

Segundo a coordenadora, Dorotéia Rodrigues, essa é uma importante ação da prefeitura de Rio Branco para a saúde mental dos adolescentes.

“A secretaria municipal de saúde está aqui para falar da saúde mental dos adolescentes, prevenir, orientar, bem como encaminhar nossos adolescentes para os nossos serviços, pois esse é público que foi muito afetado por essa pandemia e nós focamos nesse público como forma de prevenir e cuidar dos nossos adolescentes”, disse Rodrigues.

De acordo com a coordenadora da Rede de Atenção Psicossocial (RAPS), Analdemira Moreira, o número de óbitos é muito grande entre as faixas etárias de 15 a 29 anos. “Hoje, escolhemos esse momento para falar um pouco da saúde mental do adolescente e sobre as questões que interferem nesse tema”, afirmou Moreira.

A secretária Municipal de Saúde (Semsa), Sheila Andrade, falou sobre as atividades que foram realizadas em alusão ao setembro Amarelo no local.

“A proposta para a gente foi envolver esses adolescentes em uma rodada de conversa com uma psicóloga, teve capoeira, hip hop e a Fundação Garibaldi Brasil, nos contemplou com um som, para que as pessoas pudessem curtir, porque o adolescente é diferenciado. Então esse público, a gente procura envolvê-los dentro do contexto deles”, assegurou a secretária.