Prefeitura de Rio Branco investe em capacitação de servidores para uma gestão de resultados

Com 20 anos de experiência em gestão pública e reconhecimento internacional pela elaboração e subsídio na execução de projetos, no Brasil e no exterior, o Instituto Aquila, apresentou na tarde desta segunda-feira, 13, um plano de trabalho para auxiliar os gestores municipais no desempenho de suas ações para uma administração de resultado com alinhamento, eficiência e qualidade.

O instituto, vai oferecer durante 16 meses, capacitação para servidores de secretarias, órgãos e autarquias da prefeitura, visando aplicabilidade com correção do plano de governo da gestão Tião Bocalom, em sua plenitude, para melhorar a qualidade de vida do cidadão rio-branquense.

“A prefeitura busca o que há de melhor no país para orientar a gestão a implantar seus projetos com mais eficiência e com responsabilidade. Estamos buscando soluções que nos permitam devolver à população aquilo que ela contribui com a gestão pública com seus impostos”, ponderou Cid Ferreira, Secretário da Sefin.

Segundo o gerente de projetos do Instituto, Fabrício Righetti, a ideia é trabalhar em várias frentes da governança para tornar Rio Branco a capital com melhor índice de desenvolvimento humano da região Norte, seguindo as diretrizes do plano da gestão Bocalom.

“Hoje, nós temos uma ambição, aqui na prefeitura de Rio Branco, a de sermos a melhor capital do Norte, missão traçada junto com prefeito. Sair dessa posição de terceiro ou quarto lugar para ser a primeira em vários aspectos. A acidade está muito bem na execução fiscal, mas precisamos traduzir isso em eficiência na Educação, Saúde e na Infraestrutura”, disse Righetti.

A prefeita de Rio Branco, em exercício, Marfisa Galvão, ressaltou que a prefeitura tem se empenhado para promover capacitação de seus servidores, para tornar a gestão sólida e eficiente.

“Estamos aqui reunidos com todos os secretários do município, é uma marca do prefeito Bocalom fazer uma gestão com transparência, gastar bem o dinheiro público. Não seria novidade se não tivesse um treinamento monitorado por uma empresa de grande nome com é o caso do Instituto Aquila”, ponderou Marfisa.