Prefeitura entrega seis micro-ônibus ‘Marruá’ para atender alunos de escolas rurais de Rio Branco

Durante solenidade realizada na manhã desta quinta-feira, 22, em frente a Prefeitura de Rio Branco, o prefeito Tião Bocalom, entregou seis micro-ônibus novos modelo Agrale Marruá 4 X 4 para a Secretaria Municipal de Educação (Seme). Os veículos serão destinados ao transporte escolar de alunos portadores de deficiência física, matriculados em escolas rurais da rede municipal de ensino.

Os ‘Marruás’ irão atender as escolas: Luiza de Lima Cadaxo, no Pólo Agroflorestal; Terezinha Miguéis, Assentamento Figueira e Vila Verde, na Transacreana; Zaqueu Machado, BR-317, Ramal Mediterrâneo e Baixa Verde; e Escola Mário Lobão, no Ramal do Mutum.

De acordo com a secretária de Educação, Nabiha Bestene, a prefeitura está em tratativas para a aquisição de outros oito ônibus e dois automóveis, para a Busca Ativa Escolar. “Essa é uma estratégia muito útil para ajudar a garantir os direitos de todos, meninos e meninas, que a partir de agora deixarão de ser transportados nos chamados paus-de-arara”, destacou.

Emoção

Katrini Alves da Costa, moradora do Ramal Mutum, conhece bem o sofrimento de levar a filha especial para escola sem um transporte adequado. Ela disse que agora essa realidade mudou e agradeceu a iniciativa da prefeitura.

“Vai ajudar bastante. Não vou mais precisar levar minha filha nos braços para a escola. Minha gratidão ao prefeito, por nos proporcionar essa felicidade”, disse Katrini, emocionada.

Para o prefeito Tião Bocalom não é concebível que nos dias atuais os alunos da rede municipal de ensino de Rio Branco tenham que se deslocar até aescola de qualquer jeito. Ele lembrou de ter sido pioneiro desse projeto quando foi prefeito da cidade de Acrelândia, cuja iniciativa serviu de parâmetro para programas nacionais.

“Me deixa muito feliz ver que os veículos que acabamos de comprar atendem de forma efetiva às necessidades das nossas crianças que portam deficiências físicas. É uma satisfação muito grande poder dar dignidade às crianças”, concluiu Bocalom.