Conselho Municipal de Saúde abre consulta pública para melhorar o sistema de atendimento

A Prefeitura de Rio Branco, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) e do Conselho de Saúde da Capital, iníciarão, nesta segunda-feira, 12, uma consulta pública.

A consulta será por aplicativos e nas redes sociais sobre o que a sociedade (usuários do sistema público) deseja que seja melhorado no serviço de saúde.

Tudo que envolve a atenção primária que vai desde a recepção nas unidades básicas, o acolhimento, a humanização, atendimentos médico e odontológico, realização de exames e todos os quesitos ambulatoriais.

“Nós sabemos o que pretendemos para melhorar ainda mais o sistema de saúde. Enfim, nós desejamos saber é das pessoas que procuram as nossas unidades, o que elas querem para si. Afinal de contas, são elas que buscam pelos atendimentos e saberão nos orientar em nossos serviços da melhor forma possível”, diz o secretário da pasta, Frank Lima.

O presidente do Conselho Municipal de Saúde, José Augusto, é quem vai coordenar esse processo. Ele assegura que o conselho optou pela consulta pública tendo em vista a pandemia mundial de covid-19.

“Não temos ambiente sanitário para realizar a Conferência Municipal de Saúde, e para que não haja prejuízo da participação, do controle social na elaboração do Plano Plurianual de Saúde, o pleno do conselho decidiu por fazer uma consulta pública para colher as propostas da sociedade, visando o melhoramento dos serviços de saúde da capital e garantir um PPA, voltado aos interesses da população”, informou o presidente.

A prefeitura vai disponibilizar, além do número do aplicativo de WhatsApp (68) 99604-9288, caixas coletoras de sugestões, que vão estar à disposição da em todas as Unidades Básicas de Saúde (UBS) e também nas Uraps e Policlínicas da rede de saúde municipal de Rio Branco.

A consulta pública vai do dia 12 de julho até o próximo dia 25 de julho. Em seis meses de trabalho a saúde pública de Rio Branco já conseguiu dar um choque de gestão.

Aumentaram a oferta de consultas médicas, a quantidade de exames laboratoriais mais que dobraram, melhoraram o atendimento de pré-natal, as visitas médicas domiciliares foram retomadas e agora irão medir o nível de satisfação das pessoas.

“Contratamos mais médicos. Zeramos as filas com nosso serviço de agendamento e o Telessaúde. Nas nossas farmácias não faltam mais medicamentos da atenção básica. Enfim, queremos melhorar ainda mais e precisamos saber o que o usuário quer que façamos”, finalizou o secretário Municipal de Saúde, Frank Lima.