Prefeito Tião Bocalom se reúne com camelôs e anuncia a entrega de 18 boxes

O prefeito Tião Bocalom se reuniu na tarde de sexta-feira, 28, na sede da Prefeitura, com vários camelôs que ocupavam irregularmente o Centro da cidade e foram retirados do local, e anunciou a entrega de 18 novos espaços para os trabalhadores que foram selecionados pela comissão instituída para fazer a triagem com base em uma lista entregue pelos próprios ambulantes.

De acordo com o prefeito, a preocupação da atual gestão municipal é resolver o problema da falta de espaço desses pequenos comerciantes, de forma que também não comprometa o aspecto urbanístico da cidade.

“Nossa preocupação sempre foi geração de renda para as famílias. Evidentemente que muitos camelôs que estavam lá até o final do ano passado fizeram de uma forma, a organização lá, que criou diversos problemas. Quando nós assumimos, tínhamos um grande problema: aqueles camelôs que haviam deixado as áreas ali no calçadão e foram para o Aquiry Shopping venderam espaços (que não eram seus), outros repassaram para familiares e a gente precisava resolver o problema”, explicou o prefeito.

Diálogo
Segundo Bocalom, a Prefeitura adotou o diálogo como forma de tentar resolver o problema. “ A Prefeitura foi conversando com as pessoas que estavam lá e conseguimos resolver, em parte, o problema. A gente sabe que cada uma delas está querendo levar o pão-de-cada-dia para casa. Gostaríamos de ter resolvido o problema de todos, porém conseguimos resolver o problema de 18 famílias e vamos continuar lutando para que a gente possa resolver a situação de algumas famílias que ficaram para trás”, enfatizou.

Sem politicagem
O prefeito ressaltou a forma como a comissão foi encarregada de tratar o problema. “Pessoas que há tempos trabalham em boxes do calçadão, que não se sabe porque razão, não foram beneficiadas com lojas no Aquiry Shopping. A antiguidade, aliás, foi um dos critérios adotados pela Prefeitura na seleção dos contemplados. O critério do tempo dos ambulantes no local. Pessoas que tinham 40 anos, ainda não haviam sido contempladas”, destacou.

“A gente não usou de politicagem, político partidária. Nós usamos apenas de um critério que fosse o mais justo possível. Independentemente de quem a pessoa votou, de quem ele gosta, de quem ele não gosta”, explicou Bocalom.

O chefe do Gabinete Militar, Coronel Bino, coordenador da comissão instituída por Bocalom, afirmou que a partir de agora essas pessoas passam a trabalhar com mais tranquilidade.

“Após uma busca criteriosa, um levantamento muito cuidadoso, a gente chegou a esses 18 nomes. É importante frisar que essas pessoas aqui estavam há muito tempo à espera de uma vaga. A partir de agora elas saem da clandestinidade, deixam de pagar aluguel e vão ter um espaço com tranquilidade para trabalhar: 12 espaços no Aquiry Shopping e seis espaços na rua Quintino Bocaiúva”, salientou Bino.

Alessandro Alves da Silva, camelô há 31 anos, disse que está feliz por ser beneficiado.” Finalmente, consegui um lugar para trabalhar. Graças a essa gestão séria. Desde o primeiro camelódromo que concorria e nunca fui contemplado. Sempre a coisa era feita por meio de “panelinhas”. Muita gente antiga, como eu, que não fazia parte dessas “panelinhas”, nunca conseguiu um espaço para trabalhar. Estou feliz por mim, que consegui agora, mas estou triste por vários amigos que ainda terão que aguardar mais um pouco, concluiu”.