Prefeito Tião Bocalom recebe empresários das Industrias Cerâmicas do Estado

Prefeito Tião Bocalom: “Vamos estabelecer políticas locais para que a gente possa fomentar a manutenção dessas industrias. Assim, gerar emprego, renda e dignidade para as pessoas” (Foto: Dircom)

Representantes do Sindicato das Industrias Cerâmicas do Acre (Sindicer–Ac) estiveram reunidos, nessa terça-feira, 30, com o prefeito de Rio Branco, Tião Bocalom, e o secretário de Meio Ambiente, Normando Sales.

O objetivo dos empresários do setor é manter um diálogo constante para aprimorar as ações de incremento de mercado, visando a inclusão do produto cerâmico nas políticas públicas.

Segundo o presidente do Sindicer, Márcio Agiolfi, a categoria ficou satisfeita com a forma sensibilizada que o prefeito Tião Bocalom recepcionou o pleito dos empresários do ramo de cerâmica.

Márcio Agiolfi destacou a cultura local de calçamento de vias e calçadas com tijolos maciços. Exemplo que, na opinião do empresário, é fundamental nos aspectos econômico, social e ambiental. “Colocamos uma dificuldade que temos para tocar as indústrias de cerâmica no município pelo fato de sermos obrigados a trazer lenha do Estado de Rondônia para as fábricas. O prefeito foi muito sensível”, ponderou Márcio.

O secretário de Meio Ambiente, Normando Sales, disse que o empreendedor do município de Rio Branco, na gestão Bocalom, vai estar mais próximo do licenciador ambiental. “A prerrogativa constitucional do licenciamento é do município, mas não era exercida pelos prefeitos anteriores. É feito pelo Instituto de Meio Ambiente do Acre (IMAC), queremos unificar. Quem licencia também pode fiscalizar, isso porque já conhece o processo desde o início. Toda essa atividade nós vamos encurtar o tempo e de forma mais transparente, garantindo celeridade no licenciamento aos empreendedores”, explicou Sales.

“Vamos estabelecer políticas locais para que a gente possa fomentar a manutenção dessas industrias. Assim, gerar emprego, renda e, consequentemente, dignidade para as pessoas. O poder público precisa criar os meios para que os empresários possam investir e gerar novos empregos na cidade”, disse Bocalom.