Em entrevista coletiva prefeito de Rio Branco anuncia a liberação do FGTS aos atingidos pela alagação

Tião Bocalom e major Falcão explicam quem tem direito ao saque do FGTS (Foto: Dircom)

O prefeito de Rio Branco, Tião Bocalom, e o coordenador da Defesa Civil Municipal, major Cláudio Falcão, concederam entrevista coletiva, nesta quarta-feira, 24, para falar sobre a liberação do saque do Fundo de Garantia Por Tempo de Serviço (FGTS) para as pessoas que foram atingidas pela cheia do Rio Acre ou pela enxurrada dos Igarapés.

A Defesa Civil Municipal tem realizado um trabalho minucioso, sistemático e metodológico para identificar todos os endereços atingidos pelas águas. O levantamento técnico foi entregue ao prefeito Tião Bocalom que, rapidamente, encaminhou a documentação para a Caixa Econômica Federal que fez a liberação do FGTS.

Têm direito ao saque as pessoas diretamente atingidas pelas águas do Rio Acre ou pelas enxurradas. e que tenham saldo positivo na conta do FGTS e que não tenha feito o mesmo tipo de retirada nos últimos 12 meses. A Caixa, na qualidade de Agente Operador do FGTS, cumpre com as determinações legais e adota as providências necessárias para operacionalização do Fundo de Garantia.

Para acessar o benefício, é necessário baixar o aplicativo Caixa FGTS no celular, fazer o cadastro e inserir um documento com foto e comprovante de endereço. No momento do cadastro o beneficiário deve indicar uma conta, seja da Caixa ou qualquer outro banco, para que o valor seja depositado.  Depois disso, o favorecido deve aguardar cinco dias para a Caixa emitir a declaração.

O valor máximo a ser sacado é de R$ 6.220. Em Rio Branco, 6.863 famílias foram atingidas, mas nem todas têm o direito de sacar o benefício. Estima-se que pelo menos 2.000 possam realizar o saque.

O processo para sacar o FGTS tem dois prazos para término: dia 19 de maio para as famílias atingidas pelas enxurradas e no dia 23 de maio para as famílias atingidas pela cheia do Rio Acre.

O coordenador Municipal de Defesa Civil, major Cláudio Falcão, esclareceu que caso a pessoa não consiga comprovar que mora no endereço atingido, a Defesa Civil irá emitir uma declaração. “Essas pessoas que não tem como comprovar o endereço podem procurar a defesa civil para que possam adquirir os documentos que por ventura faltem, para sacar o FGTS”, avisou o coordenador.

O prefeito Tião Bocalom informou que esses recursos, sacados do FGTS, servirão para aquecer a economia que está parada, devido a pandemia. “Sem dúvidas que esse dinheiro, que a gente calcula em torno de R$ 4 milhões, servirá para aquecer o comércio e também ajudar as pessoas mais humildes, que tem esse dinheiro preso e que agora vão poder sacar”, disse o prefeito.