Prefeito Tião Bocalom apresenta planilhas e documentos com valores pagos a empresas terceirizados

Documentos apresentados em coletiva de imprensa (Foto: Dircom)

O prefeito de Rio Branco, Tião Bocalom, reuniu a imprensa, nesta sexta-feira, 19, para esclarecer e mostrar, por meio de documentos, a diferença nos valores do pagamento realizado às empresas terceirizadas que prestam serviço de manutenção e limpeza da capital, em relação a gestões anteriores.

Na coletiva, o prefeito mostrou planilhas com os valores pagos a essas empresas. Uma delas contratada desde 2005, com diferenças que chegam a mais de 50% do valor devido. Em janeiro de 2020 a empresa JWC, por exemplo, apresentou uma nota fiscal de serviços prestados no valor de R$ 411.414,72 e em fevereiro do mesmo ano, outra nota de R$ 405.334,70, totalizando 816.749,42.

Este ano, depois que atual gestão assumiu, foi verificado discordância do contrato assinado. Percebeu-se que o valor que estava sendo pago não condizia com o documento. “A orientação da Procuradoria Geral do Município foi suspender o pagamento dessas empresas, enquanto se realizava o levantamento das informações corretas”, disse o procurador geral Joseney Cordeiro.

Após a conclusão do levantamento, chegou-se aos seguintes valores: a empresa JWC teria, de fato e de direito, o valor de R$ 249.325,15 para receber em janeiro de 2021 e R$ 205.646,19, no mês de fevereiro 

O prefeito Tião Bocalom disse que o próximo passo da prefeitura é encaminhar toda a documentação, dos últimos cinco anos, para o Ministério Público Estadual (MPEAC) e o Tribunal de Contas do Estado (TCE) para serem analisados. “Só pelos faturamentos dos meses de janeiro e fevereiro já prova que realmente tinha alguma coisa errada. Por enquanto são só suspeitas, mas quem vai dizer isso é a justiça”, informou o prefeito.