Oficina O Brinquedo Cantado começa hoje em Rio Branco com apoio da Prefeitura

A intenção é usar a oficina como ferramenta do teatro (Foto: Dricom)

A Prefeitura de Rio Branco, por meio da Fundação Municipal de Cultura, Esporte e Lazer Garibaldi Brasil (FGB), está apoiando a oficina O Brinquedo Cantado que será realizada nos dias 17, 19, 24, 25 e 26 de março das 18h ás 21h, no Centro Cultural Thaumaturgo Filho. A intenção é usar a oficina como ferramenta do teatro.

Com um potencial lúdico resultante da espontaneidade da cultura popular que atravessa gerações por meio da tradição oral, os brinquedos cantados, também conhecidos como brincadeiras cantadas ou rodas cantadas, oferecem a possibilidade de brincar com o próprio corpo através do canto. E é nesse sentido que a oficina pretende compartilhar repertório com potenciais multiplicadores dos brinquedos, contextualizando a contribuição de tal manifestação à prática teatral na sala de aula, na sala de ensaio e nos espaços onde se pretende.

“A Lei Aldir Blanc, por meio da FGB, acendeu a chama que tenho enquanto fundador do Teatro Candeeiro (AC) para dar luz a um projeto muito contagiante a todas as gerações que têm a oportunidade de participar de uma roda de brinquedos cantados. Tenho visto, desde 2009, que ninguém sai o mesmo depois de uma experiência como essa, portanto cabe a nós levar a tradição adiante e encontrar outros que reforcem essa multiplicação”, destaca o proponente do projeto, Nolram Rocha.

No intuito de fornecer subsídios para criação artística, o projeto propõe um minicurso de formação presencial com cinco encontros gratuitos utilizando-se dos brinquedos cantados como patrimônio cultural imaterial, para 7 participantes, na cidade de Rio Branco. O objetivo é apresentar conceito, aplicabilidade e os desdobramentos de tal manifestação no fazer teatral a partir das vivências e experiências do proponente e de artistas convidados.

Divulgação

O projeto entrega aos participantes a possibilidade de que passem a tradição adiante e as reinventem para seus processos teatrais. Ressalta-se também a importância de formar multiplicadores que promovam esses encontros lúdicos tão importantes para pôr o corpo em movimento, principalmente nestes tempos em que as pessoas estão submetidas ao isolamento social devido a pandemia de covid-19.