“Vamos evitar aglomeração para ajudar a acabar com a covid-19 em Rio Branco”, diz prefeito Tião Bocalom em reunião

Prefeito Bocalom: “Cabe a cada um de nós tomarmos consciência de que a covid mata” (Foto: Dircom)

A prefeitura de Rio Branco, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa), reuniu nesta segunda-feira, 15, o Comitê de Acompanhamento Especial da Covid-19. A reunião foi presencial e contou com a participação do prefeito Tião Bocalom, do secretário da Casa Civil, Artur Neto, do secretário municipal de Saúde, Frank Lima, da coordenadora de Vigilância Epidemiológica, Socorro Martins, da presidente do Conselho Regional de Medicina, Leuda Dávalos, da representante do Conselho Regional de Enfermagem, Yonara Pereira Gaio, da representante da secretaria Estadual de Saúde, Adriana Lobão e da presidente do conselho Municipal de Saúde, Alesta Amâncio.

A reunião foi para definir e encontrar uma saída menos drástica que não seja fechar tudo prejudicando as pessoas que precisam trabalhar no dia a dia. “É preciso preservar os postos de trabalho, sem fazer as aglomerações”, disse o secretário, Frank Lima.

Ele ressaltou que esse é o momento de manter o distanciamento social. “O que a gente pode perceber e o que tem causado impacto, principalmente na rede de saúde, são as aglomerações. Precisamos tomar decisões para garantir o emprego de todos, mas que possa também preservar a vida”, completou o secretário.

Para a presidente do CRM/AC o que ainda falta para começar a diminuir os casos de covid-19, em Rio Branco, é uma maior fiscalização das autoridades. “A população precisa tomar consciência que as medidas elas são eficazes. O que falta são as pessoas cumprirem as determinações sanitárias e que, quem não cumprir, sejam punidas. A população precisa entender que a covid-19 é uma doença grave, que mata e que todos nós somos responsáveis”, enfatizou a presidente.

O prefeito de Rio Branco, Tião Bocalom reiterou que é preciso apertar a fiscalização para que se cumpram as medidas sanitárias, pois a população já sabe que usar máscara, álcool em gel e distanciamento social são eficazes. “Cabe a cada um de vocês, a cada um de nós tomarmos consciência de que a covid mata. Não adianta ficar fazendo festinha de fim de semana. Não podemos ficar andando na rua com pessoas se aglomerando em praças, em festas de família, em frente de casa. Será que a gente não vai aprender? Vamos fazer diferente. Vamos evitar aglomeração, senão não vamos acabar com a covid”, insistiu o prefeito.