Projeto Identidade Amazônida – Ikuãni é apoiado pela Garibaldi Brasil

A Prefeitura de Rio Branco, por meio da Fundação Municipal de Cultura, Esporte e Lazer Garibaldi Brasil (FGB), divulga o Projeto Identidade Amazônida – Ikuãni realizado pela Cia. Garatuja de Artes Cênicas, nos dias 10, 11 e 12 de março, às 19h, ao vivo da casa de cultura da gameleira, pelo Facebook: @ciagaratujadeartescenicas. O projeto foi aprovado pelo edital Nº 11/2020 – Edital de Prêmios de Arte e Patrimônio Cultural.

Na tradução, Ikuãni significa abraça o mundo inteiro; Huni Kuin é mulher; Ikua significa abraça e âni quer dizer grande. Mulher da floresta, mulher amazônida, dona de uma ancestralidade feminina do tempo antes do tempo, quando mundo era livre dos homens maus. De acordo com a história, Ikuãni vive em um mundo de liberdade, onde o ser era o ser, o ser que sente a vibração do Nixi paem do Kene da jiboia se mostrando um só mundo.

Divulgação

O trabalho cênico e teórico “Ikuãni” trata da decodificação da movimentação cotidiana da mulher Huni kuin. A linguagem do corpo em movimento durante seus afazeres e sua organização estética, coreográfica e ritualística, além do canto, ocupam um lugar fundamental no desempenho do ritual das tradições indígenas e são objeto de pesquisa profunda neste trabalho realizado por Regina Maciel.

“O projeto é muito importante, principalmente nesse momento de pandemia que está tudo parado. Não podemos executar os nossos projetos da maneira que somos acostumados a fazer, no meio da comunidade, nos bairros e municípios. A Lei Aldir Blanc nos possibilitou por meio das lives, aprender uma nova maneira de fazer e mostrar a arte pela internet”, destacou a representante da Cia. Garatuja de Artes Cênicas, Núbia Alves.