Famílias atingidas pela cheia retornarão às suas residências na Operação Volta para Casa, em Rio Branco

Operação Volta para Casa é explicada em coletiva à imprensa (Foto: Dircom)

A prefeitura de Rio Branco, por meio da coordenadoria Municipal de Defesa Civil, começa a colocar em prática, nesta quarta-feira, 10, a Operação Volta para Casa. Nesta terça, 9, foi concedida entrevista coletiva à imprensa, no Parque de Exposições, para informar como será realizado esse retorno e quais medidas estão sendo tomadas para garantir segurança a essas famílias. As primeiras famílias ocuparam os módulos no Parque, no dia 10 de fevereiro com o transbordamento do Rio Acre.

Estavam presentes na coletiva o major Cláudio Falcão, coordenador municipal de Defesa Civil, cel Carlos Batista, comandante do Corpo de Bombeiros, cel. Ezequiel Bino, Chefe do Gabinete Militar da prefeitura, Sheila Carvalho, diretora de Assistência em Saúde da Semsa, Ângela Cortes, diretora do Departamento de Controle de Zoonoses.

Além das famílias nos abrigos, 48 cães e gatos também foram resgatados e ficaram aos cuidados do Departamento de Controle de Zoonoses que terá um papel fundamental nesse retorno das famílias para casa. “Nesse retorno nós temos um cuidado todo especial com esses animais em relação a higiene, principalmente por causa da leptospirose”, informou a diretora de Controle de Zoonoses, Ângela.

Ângela disse ainda que acompanharão o retorno desses animais, mas antes farão o controle de roedores e outros animais peçonhentos, como cobras e escorpiões, nas residências. “Nesse momento, o papel da Zeladoria e da Emurb, nossas parceiras, é muito importante e nós estaremos realizando a desratização e levando as informações necessárias para que essas famílias tenham segurança quando voltarem para casa”, explicou.

A operação começa com o retorno das famílias abrigadas nas escolas e, em seguida, as que estão no Parque de Exposições. “Essas famílias serão relacionadas, levadas para suas residências com toda a assistência, com kit limpeza, kit higiene e alimentos”, informou o major Cláudio Falcão.

Além disso vistorias serão realizadas nas casas para saber se há segurança para elas permanecerem. A coordenadoria informou ainda que, pelo menos, 20 famílias devem retornar diariamente. Até sábado todas as famílias estarão de volta para casa. Os abrigos montados dentro do Parque não serão desativados. “Não desmontaremos os abrigos até o fim de março, haja vista, que nós temos ainda um pequeno risco do nível do Rio Acre subir novamente”, concluiu Falcão.