Centro de Atenção Psicossocial tem média de três mil atendimentos desde a fundação

O secretário municipal de saúde, Frank Lima, fez uma visita, na manhã desta terça-feira, 2, ao Centro de Atenção Psicossocial Nível 2 (CAPS) Samaúma, que funciona no bairro Tropical, em Rio Branco.

O Centro é referência em atendimento no Acre e na região norte, informou Frank Lima. Segundo ele, nos próximos dias irá anunciar grandes novidades para o local. “Já estamos trabalhando para transformar o CAP´s II em CAP`s III. Isso quer dizer que a gente vai ter uma melhor condição de atendimento, teremos leitos de retaguarda, funcionaremos 24h por dia, uma porta aberta para atender quem tem problemas psicológicos e problemas de conflito social”.

O Centro de Atenção Psicossocial foi criado há 3 anos e é especializado no atendimento de pessoas com transtornos graves e persistentes. O serviço é oferecido pela prefeitura de Rio Branco e gerenciado pela Secretaria Municipal de Saúde (Semsa), e conta com uma equipe multiprofissional com dois técnicos de enfermagem, um enfermeiro, dois médicos, assistente social, farmacêutico e educador físico. Essa equipe é referência para atendimento de atenção primária.

O local conta ainda com sala multiuso de atendimento individual, farmácia, salas de atendimentos terapêutico, clínico e de enfermagem, banheiros adaptados às pessoas com deficiência, além de uma sala de arte gourmet. “A sala é um espaço bem diferenciado e a terapia tem várias facetas, mas quando trabalhamos essa parte com as pessoas, outras coisas e outras possibilidades de cuidados se abrem”, explicou a técnica de referência, Vanessa Velasco.

Desde a sua fundação o CAP´s Samaúma já realizou cerca de 3.000 atendimentos. Em média, por dia, 50 pessoas são atendidas. Vanessa disse ainda que mesmo nesse período de pandemia do novo coronavírus, o centro não deixou de atender a população. “Não precisa fazer agendamento para ser atendido aqui no CAP´s, as portas estão abertas. Todos os cuidados estão sendo tomados em relação ao isolamento social”.

Segundo Vanessa além do atendimento individual do paciente o local também oferece entre outros serviços as práticas integrativas e complementares (PIC´s). “Aqui no Cap´s há a oferta de reiki, auriculterapia, barras, que é um trabalho mais diferenciado, e tem também as intervenções de crises que o CAP´s acompanha”.

Exemplo de acompanhamento é o caso da senhora Leila Fernandes que faz tratamento no CAP`s Samaúma desde a sua fundação. Ela diz que o atendimento é de primeiro mundo. “Aqui nós temos pessoas que nos amam, que nos tratam bem, que sabem ver o que nós necessitamos, porque nem todo mundo é igual e eu agradeço por eles nos acolherem tão bem”, informou Leila.