Prefeito acompanha vacinação contra coronavírus nos idosos com idade acima de 74 anos

Dona Maria tomou a primeira dose da vacina e aproveitou para conversar com o prefeito Tião Bocalom (Foto: Dircom)

O dia começou diferente para dona Maria Jerônimo de Araújo, de 82 anos, moradora da periferia. Ela recebeu a primeira dose da vacina contra a covid-19, na na Unidade de Referência da Atenção Primária (URAP), Cláudia Vitorino, no bairro Taquari. Ela conta que era contra a vacina, mas foi convencida pela família de que este é o único caminho para vencer a doença.

“Agora é pedir a Deus que dê tudo certo. Eu não queria, mas Deus tocou no meu coração e com fé, tomei a vacina e peço a todos venham se vacinar”, disse.

O aposentado Antônio Souza, 85, também vacinado, se disse emocionado. “Temos que nos resguardar, evitar tumulto. Gente, pelo amor de Deus, todo mundo se vacine e se preserve”, chamou a atenção.

O prefeito Tião Bocalom  estava na URAP Cláudia Vitorino no momento da vacinação de dona Maria. Aproveitou para visitar as salas de vacinação, a farmácia onde são feitas as liberações de medicamentos e observou a higienização dos espaços de acolhimento aos idosos.

Bocalom visita a URAP Cláudia Vitorino (Foto: Dircom)

Em seguida o prefeito foi aos outros postos da Secretaria Municipal de Saúde do Município (Semsa) e conversou com os servidores do atendimento em sistema drive thru, no estádio Arena Acreana e no antigo estacionamento do Detran, em frente ao 7º BEC.

Para o secretário Frank Lima, ajustes precisam ser feitos todos os dias para melhorar ainda mais o serviço ao cidadão. Ressaltou que cuidar das pessoas é um compromisso da prefeitura e uma determinação do prefeito Bocalom.

“Cada dia que passa a gente tem alguma coisa a melhorar. São 46 unidades de saúde, 11 URAPs, mais a policlínica Barral y Barral abertas, fazendo atendimento desde o curativo até consulta médica, incluindo 5 unidades de saúde referenciadas para dengue”, observou Frank.

O prefeito Tião Bocalom falou do fortalecimento do atendimento na saúde primaria e do incremento de novos médicos, fruto de parceria com o Ministério da Saúde (MS).

“O importante de tudo isso é que a gente possa fazer o melhor para nossa população porque ela merece. Infelizmente no ano passado, quando estouraram os casos de covid, a prefeitura praticamente se afastou do trabalho. Sobrou para o governo do Estado. Agora a prefeitura está com todas suas unidades de saúde trabalhando, cuidando da dengue e todas as doenças”, explicou Bocalom.