Prefeito Tião Bocalom apresenta nova diretoria do Saerb aos funcionários

O prefeito de Rio Branco, Tião Bocalom, apresentou, na tarde desta quarta-feira, 17, a nova diretoria do Saerb, aos funcionários da autarquia. A nova diretora presidente, Pollyana Souza é acreana e uma de suas especializações é gestão de operações para tecnologias sustentáveis e saneamento. Agora assume um novo desafio. “A gente espera honrar esse compromisso e desenvolver um trabalho muito profissional e técnico, contando com a equipe que já existe hoje, no Saerb”, informou Pollyana.

A diretora do Saerb disse que já realizou, inclusive, visitas técnicas nas estações de tratamento de água e de esgoto, como também nos reservatórios, pra fazer uma pesquisa e entender as necessidades de quem está lá no campo. “Já me reuni, conheci parte da equipe e estamos fazendo a tratativa de reversão do Depasa para o novo Saerb e é possível sim, mas vai depender muito do engajamento de todos os integrantes, de todos os políticos que estão envolvidos no processo e do comprometimento também da população que também tem a sua contribuição, principalmente na questão de perdas, de uso correto da água, não jogando lixo nas ruas porque isso vai direto pros rios. Será um trabalho em sincronia com todo mundo. Todos somos um”, enfatizou a diretora.

O prefeito Tião Bocalom diz não ter dúvidas de que a nova diretora trabalhará em prol dos funcionários e da população. “Essa equipe aqui está super comprometida em fazer a coisa séria, honesta e tecnicamente, porque essa empresa vai dar certo e o povo vai ter, até o final do mandato, água nas torneiras 24 horas e esgoto tratado dentro dos 52% de rede, dentro de Rio Branco, evitando assim a poluição dos nossos rios e igarapés”, disse Bocalom.

Durante a reunião, o prefeito aproveitou para falar dos projetos que tem e que já estão em andamento. Um deles é evitar a privatização do Saerb porque, segundo ele, se a empresa for privatizada vai ocorrer o mesmo que ocorreu com a energia elétrica, os valores vão aumentar muito. “Nós temos o compromisso com os mais humildes, os mais pobres, garantindo água não só aos que tem dinheiro, mas principalmente, àqueles que não têm. É uma decisão nossa de reverter o serviço e pra isso já conseguimos recursos da ordem de R$ 60 milhões para darmos o primeiro empurrão. Tenho certeza, que esse grupo que está aqui vai fazer essa empresa dar certo. Mostrar que o que faltava era gestão. E tendo gestão, com certeza, o povo vai ter água todos os dias nas torneiras”, enfatizou.

“Eu não tenho dúvidas de que o Saerb é viável. Eu sou professor de matemática, trabalho com números. O Saerb arrecada por mês mais de R$ 6 milhões e pode gastar 4. Então faça as contas? Sobra 2 milhões por mês, que podem ser investidos dentro da empresa”, finalizou o prefeito.