Prefeitura se prepara para enfrentar eventual transbordamento do rio Acre em Rio Branco

O secretário da Casa Civil do Município de Rio Branco, Artur Neto, conduziu nessa quinta-feira , 28, uma reunião com os secretários e representantes das principais secretarias municipais que estarão na linha de frente dos trabalhos de socorro às pessoas que venham a ser afetadas por uma possível enchente do rio Acre na Capital.

A reunião teve como objetivo alinhar todas as ações, especialmente as das secretarias municipais de Saúde, de Ação Social, de Infraestrutura, de Zeladoria da Cidade, da Emurb, que são as primeiras nessa linha de frente. De acordo com o coordenador municipal da Defesa Civil, Major Cláudio Falcão, posteriormente as demais secretarias serão chamadas quando necessário. “Nós temos uma vazante em toda a bacia do rio Acre neste momento e uma elevação no nível de águas do Riozinho do Rôla e Igarapé Espalha. Isso vai impactar diretamente Rio Branco, como já temos constatado. Neste momento o nível do rio Acre já se aproxima de 12,50 metros, uma cota já perigosa”, salientou Falcão.

Falcão ressaltou que a palavra de ordem do prefeito Tião Bocalom é Humanização, apesar dos problemas atuais como a pandemia do Coronavírus, por exemplo. “Além de todos os protocolos que nós precisamos mudar no nosso Plano de Contingências para adequar à nova realidade, também temos problemas como os riscos hidrológicos, os riscos geológicos, aliados aos problemas da pandemia de Covid-19 e de Dengue”, salientou.

O secretário municipal de Saúde, Frank Lima, afirmou que a Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) está preparada para somar às demais secretarias no atendimento às possíveis vítimas de uma eventual enchente do rio Acre. “A Semsa está de prontidão, com médicos, enfermeiros, técnicos, para que a gente possa, se necessário for, agir. Está sendo planejado todo um trabalho pela Defesa Civil do Município, e a nossa secretaria faz retaguarda para caso de necessidade. Temos que estar todos alertas, porque o nível do rio está se elevando muito rapidamente e a determinação do prefeito Tião Bocalom é de que fiquemos de prontidão”, disse Lima

Segundo ele, nas tratativas entre a Defesa Civil e as demais secretarias  surgiu a ideia da instalação de um abrigo próximo ao Parque de Exposições,  onde ficarão, em quarentena, as pessoas que por acaso tenham indicação de estarem contaminadas pelo Coronavirus, até que saiam os resultados de exames a que serão submetidas. As pessoas que não apresentarem indicação de Covid-19 serão abrigadas no Parque de Exposições. “Nossa equipe que estará atuando terá profissionais capacitados para a realização do exames NS1, que detecta a Dengue, como o exame de Swab, que detecta Coronavirus. Num período de 24 horas teremos um diagnóstico, para que a gente saiba como encaminhar cada situação”, explicou o secretário.

“É importante frisar que num primeiro momento as pessoas com indicação de Covid-19 não ficarão com as demais pessoas que serão abrigadas no Parque de Exposições, para que a gente não coloque em risco as vidas das pessoas”, acrescentou.

A vice-prefeita e secrtária de Assistência Social e Direitos Humanos, Marfisa Galvão, informou que as equipes do município estão, desde a semana passada, fazendo visita aos pontos mais sensíveis à ocorrências de enchentes. “Temos uma metodologia de trabalho que é adotada toda vez que ocorre esse tipo de fenômeno natural. Nosso objetivo é chegar às pessoas que realmente precisam, dar o suporte que elas necessitam e, assim, estamos nos programando. Estamos preparados para enfrentar os problemas”, concluiu Marfisa.